Municípios Recurso coletivo

Prefeitos da Amop decidem acatar decreto do Estado, mas vão pedir revisão de medidas

Prefeitos da região estiveram reunidos por videoconferência nesta quarta-feira (1º) (Foto: Luciano Barros/Amop)

Em reunião por videoconferência na manhã desta quarta-feira (1º), os prefeitos que integram a Associação dos Municípios do Oeste do Paraná (Amop) decidiram acatar, momentaneamente, o decreto divulgado ontem (20) pelo Governo do Estado, o qual impõe medidas de quarentena rígidas aos 134 municípios de 7 regionais de saúde do Estado. Entre as medidas estão a restrição do funcionamento das empresas comerciais, com exceção dos serviços considerados essenciais.

Por outro lado, será protocolado junto ao Estado um pedido de revisão das medidas, com o argumento que muitos municípios afetados estão com a situação do novo coronavírus sob controle. Cada município deverá encaminhar os seus argumentos até amanhã (02) para a Amop, para que a entidade encaminhe o recurso administrativo coletivo junto ao Governo.

Casa do Eletricista – Clorador Agosto

As únicas exceções são os municípios de Toledo, São José das Palmeiras e São Pedro do Iguaçu, que ainda debatem que posição irão tomar frente ao decreto estadual. Ocorre que estes municípios encerraram justamente ontem (30) um período de quarentena de 10 dias por decretos municipais e não teriam estrutura econômica para emendar mais 14 dias.

De acordo com o presidente da Amop, prefeito Rineu Menoncin, de Matelândia, também será feito um pedido para que o Estado reforce a região com mais 50 a 60 leitos de UTI para garantir o atendimento aos pacientes mais graves. A região, segundo ele, é a mais precária do Estado em termos de leitos de UTI no sistema público.

O próprio Governo do Estado já sinalizou a possibilidade de diálogo com os municípios que discordam com o decreto estadual.

 

Confira a declaração do presidente da Amop, Rineu Menoncin:

 

TOPO