Ecoville – Maior rede de limpeza
Municípios Saúde

Pronto Socorro do Huop atende cerca de 200 pacientes por dia

(Foto: Beatriz Baron)

Os números são expressivos para toda região atendida pelo Hospital Universitário do Oeste do Paraná (Huop). Em 2019, foram contabilizados 73.449 pacientes recebidos no Pronto Socorro, totalizado cerca de 200 atendimentos de urgência e emergência diária. Dentre estes, estão os atendimentos médicos (21.151); cirúrgicos (19.999); obstétricos (14.383) e pediátricos (17.816). “O Huop atende uma região direcionada a mais de 2 milhões de habitantes. São números que representam uma fatia gigantesca do atendimento à nossa população”, ressalta o diretor geral do Huop, Rafael Muniz de Oliveira.

O Pronto Socorro conta atualmente com cinco salas de estabilização, que hoje também são utilizadas para internamento de pacientes, que aguardam leito na UTI (Unidade de Terapia Intensiva). A falta de espaço físico é refletida em superlotação, tendo em vista a demanda de atendimentos. “Enfrentamos dificuldades, principalmente por conta dessas salas de estabilização, que deveriam ficar livres para o atendimento do paciente grave, assim que ele é recebido no hospital. Porém, com os internamentos, estes pacientes graves são atendidos no mesmo espaço”, diz. Mesmo com as dificuldades, segundo Rafael, o Pronto Socorro do Huop tem uma importância significativa para toda região. “Pensa essa região toda sem o Huop, sem o Pronto Socorro. Seria um caos na saúde. Os números de atendimento são bastante expressivos”, enfatiza.

Casa do eletricista PRESSURIZADORES

 

CONCLUSÃO E ABERTURA PRONTO SOCORRO

A abertura e conclusão do Pronto Socorro passam por entraves financeiros. Ainda faltam R$ 474.694,34 para entrega da obra, e então, segundo o diretor geral do Huop, a aquisição de mais equipamentos e ampliação de recursos humanos. “Com o espaço maior a circulação fica mais longa, aumenta número de pacientes que precisam ser atendidos. Então não é só a abertura, mas também precisamos olhar as demais questões para que possamos atender sem dificuldades”, explica Rafael.

A nova estrutura do Pronto Socorro prevê 27 leitos, que será destinada ao paciente que aguarda vaga no leito de UTI (Unidade de Terapia Intensiva). “O ideal é que as salas de estabilização fiquem livres para o atendimento do paciente grave, assim que é recebido no hospital. Então estes espaços, separado das salas, trarão um conforto muito maior para o paciente”, diz.

Além disso, o Pronto Socorro prevê ainda consultórios para várias especialidades. “Hoje o atendimento é realizado em consultórios adaptados. Com o novo espaço poderíamos atender até mesmo a obstetrícia, em casos urgentes que não sejam trabalho de parto. Isso diminuiria a demanda do Centro Obstétrico”, diz. “Com toda certeza, resultaria em um conforto maior ao paciente, e mais segurança aos nossos profissionais, para que possam atender de maneira mais adequada”, finaliza.

Com assessoria

 

Clique aqui e participe do nosso grupo no WhatsApp

TOPO