Copagril
Municípios Aedes aegypti

Quatro Pontes terá arrastão contra dengue até sexta-feira

Maior parte dos focos de larvas está em vasos e pratos de plantas, sucatas, cisternas, pneus e baldes (Foto: Divulgação)

Com o propósito de combater os focos do mosquito Aedes aegypti, Quatro Pontes deu início ontem (11), seguindo até sexta-feira (15), ao arrastão da dengue, organizado pela Secretaria de Saúde em parceria com a Secretaria de Obras, Urbanismo e Transportes.
Durante toda a semana, as agentes de endemias vão intensificar as vistorias e visitar grande parte dos imóveis na cidade, sendo que a população deve deixar os materiais que acumulam água em frente de casa para que possam ser recolhidos.
O secretário de Saúde, Marco Antônio Wickert, pede ajuda da comunidade para que a ação possa ser realizada com sucesso. “Ainda são poucos os materiais descartados pela população. Solicito que os munícipes separem tudo que acumula água e deixem em frente de casa para que o caminhão possa recolher e assim daremos o destino certo. A maior parte dos focos de larvas está em vasos e pratos de plantas, sucatas, cisternas, pneus e baldes. Ajude a manter o município livre da dengue”, expõe.

 

Varredura
O município conta hoje com três agentes de endemias, que realizam em torno de 12 mil visitas anuais. As vistorias são divididas em seis ciclos, contemplando dois meses cada, e entre os ciclos ainda é feito o levantamento de índice, que corresponde a 20% dos imóveis na cidade, com a coleta de larvas para posterior análise.
No arrastão, as agentes retiram o maior número possível de criadouros do mosquito, recolhendo objetos que possam acumular água, além de fazer uma varredura contra o vetor. É aplicada larvicida em criadouros fixos e um caminhão passa para recolher todo o material. Também é realizado o trabalho de orientar os moradores.
O Setor de Endemias ainda elencou pontos estratégicos, ou seja, locais mais propensos aos focos de larvas. Assim, visitas são feitas a cada 15 dias no cemitério, borracharias, floriculturas, metalúrgicas e no barracão da Associação Quatropontense de Catadores (AQC).

 

(Assessoria)

TOPO