2º Agita Rondon – 2019
Municípios Atendimentos via SUS

Santa Helena pode se transformar em polo microrregional de saúde pública

Assunto foi discutido em reunião que envolveu representantes da 20ª Regional de Saúde, servidores da Secretaria Municipal de Saúde, procuradoria jurídica, Conasems e Ciscopar (Foto: Divulgação)

Reunião realizada na última terça-feira (06) alinhou tratativas para transformar Santa Helena em um polo microrregional em atendimentos médico-hospitalares em determinadas áreas via Sistema Único de Saúde (SUS).

O objetivo é viabilizar uma pactuação entre o município e um hospital credenciado ao SUS para prestação de serviços médico-hospitalares, visando atender com maior amplitude os pacientes locais e também de municípios como Pato Bragado, Entre Rios do Oeste, Diamante do Oeste e São José das Palmeiras, bem como desafogar o Hospital Bom Jesus, de Toledo, que atualmente absorve isoladamente os atendimentos de média complexidade da região.

Casa do Eletricista PISCINAS

A reunião aconteceu na prefeitura santa-helenense e contou com a participação de representantes da 20ª Regional de Saúde de Toledo, servidores da Secretaria Municipal de Saúde, procuradoria jurídica, Conselho Nacional de Secretarias municipais de Saúde (Conasems) e Consórcio Intermunicipal de Saúde da Costa Oeste do Paraná (Ciscopar).

 

Cidade-polo

Santa Helena se tornaria cidade-polo, de acordo com a necessidade de atendimento identificada pelo Estado e, automaticamente, aumentaria o direcionamento de recursos, contando ainda com autorizações de internamentos hospitalares (AIHs). Desta maneira, haveria fomento em o todo o ciclo econômico que está diretamente ligado com a futura demanda de pacientes de outros municípios.

Conforme o diretor da 20ª Regional de Saúde, Alberi Locatelli, Santa Helena possui estrutura condizente à territorialização que pretende ser implantada e pode se tornar um “braço” da saúde pública de Toledo. “Visualizamos em Santa Helena o interesse e a capacidade por parte do Poder Público e também do hospital que atende pelo SUS para a implantação da microrregião. Com isso, evitaremos que os pacientes percorram grandes distâncias em busca de atendimento e teremos outros inúmeros benefícios”, ressalta Locatelli, acrescentando: “Estamos discutindo as microrregiões de saúde, pois estamos preocupados com os hospitais de referência e as suas estruturas, que hoje não suportam mais o número de pacientes. Então, buscamos alternativas nas microrregiões de fortalecimento dos hospitais, para que sirvam como um suporte, que tenham um atendimento um pouco mais complexo e com isso se evite que os pacientes acabem nesses hospitais de referência. E que esses hospitais de referência realmente atendam às complexidades maiores”.

 

Avanço

Para a secretária municipal de Saúde, Marly Regina Maçaneiro, a ideia de Santa Helena receber pacientes da região em vez de levá-los a outros municípios representa um grande avanço e a administração municipal não medirá esforços para que se concretize. “O primeiro passo foi dado e agora vamos convidar os prefeitos vizinhos para discutir a proposta. O município tem plenas condições de se tornar um polo microrregional em saúde pública tendo em vista também as clínicas existentes que poderão ser conveniadas e o hospital que já é conveniado com a Secretaria de Saúde”, comenta.

Após a reunião, os participantes seguiram até o hospital para uma visita técnica, ocasião em que conheceram a estrutura que está à disposição dos pacientes.

 

 

Com assessoria

TOPO