Paraná Alerta

Com quase dois mil casos de dengue desde agosto de 2019, Guaíra tem alto risco de surto de dengue

(Foto: Divulgação)

Dentre os 21 municípios que compõem a microrregião de Toledo, 15 apresentam alto risco de viverem um surto de dengue neste ano. A região já  registrou mais de 5 mil casos confirmados da doença transmitida pelo mosquito Aedes aegypti. A taxa de incidência indica que, na região, a cada 72 moradores um teve dengue, segundo dados da Secretaria de Saúde do estado do Paraná.

Guaíra é a cidade com a quinta maior taxa de todo o estado: foram 1.850 casos confirmados da doença desde agosto do ano passado, segundo dados das autoridades estaduais de saúde. A cidade com o segundo maior registro de infecção na microrregião de Toledo foi Marechal Cândido Rondon, com mais de 830 casos.

Casa do Eletricista – TORNEIRAS ELÉTRICAS

O secretário de Saúde do Paraná, Beto Preto, afirma que os esforços estão sendo feitos, mas ressaltou a importância do apoio da população no combate ao mosquito da dengue.

“Precisamos cuidar do terreno do vizinho. Precisamos cuidar da latinha de ração do cachorro no fundo do quintal. Nós precisamos cuidar de tudo. Às vezes a gente cuida de todo o quintal e faltou cuidar da planta ornamental que tem uma folha maior e acumulou água. E ali, o mosquito veio e adorou aquela folha para fazer seu criadouro. Então, temos que nos conscientizar de que a dengue é um problema e que nós mesmos podemos fazer o combate à presença do mosquito.”

Na região de Toledo, as únicas cidades que estão com baixo risco de surto de dengue são Terra Roxa, Diamante D’Oeste e Entre Rios do Oeste. Mas é importante lembrar que todo o estado do Paraná está em alerta contra a doença. Segundo Boletim Epidemiológico divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde, mais de 65 mil casos de dengue foram confirmados, desde agosto do ano passado, em 300 municípios paranaenses. Dos quase 400 municípios do estado, 78 já declararam epidemia da doença.

O médico sanitarista e pesquisador da Fiocruz, Cláudio Maierovitch, lembra que combater os focos do mosquito transmissor é responsabilidade de toda a população e que isso deve ser feito dentro das casas e do trabalho.

“Qualquer objeto, qualquer coisa que possa acumular água parada, especialmente água limpa, mas não só água limpa, dentro dos quintais, dentro de casa, mesmo em apartamento, em locais de trabalho, pode se transformar em um criadouro para o mosquito Aedes aegypti. É um mosquito que gosta de ficar perto das pessoas. Então, é importantíssimo que haja um esforço de todos para eliminar essas condições que favorecem a proliferação do mosquito.”

E você? Já combateu o mosquito hoje? A mudança começa dentro de casa. Proteja a sua família. Para mais informações, acesse saude.gov.br/combateaedes.

Com Agência do Rádio 

Clique aqui e participe do nosso grupo no WhatsApp

TOPO