Copagril
Paraná Economia

Estimativa do Deral é de 260 mil toneladas para safrinha

Como ocorreu o plantio antecipado da soja, o produtor terá maior período para a "janela de plantio" do milho 2ª safra (Foto: Janaí Vieira)

 

Depois da quebra na produção da soja no ano passado, os agricultores podem ter um pouco de alívio com a produção do milho safrinha. No campo, a cultura do grão se desenvolve bem e as condições climáticas são favoráveis. De acordo com o Departamento de Economia Rural (Deral) da Secretaria da Agricultura e Abastecimento (Seab), no Núcleo Regional de Toledo, 35% do plantio está na fase de floração e 65% de frutificação.

O plantio na Regional de Toledo foi concluído em fevereiro. Neste ano, a área do milho safrinha é de 444 mil hectares, 3,74% a mais do que em 2018 quando o registro foi de 428 mil hectares. Com esse crescimento, a área do trigo tende a reduzir, segundo a engenheira agrônoma do Deral Jean Marie Ferrarine.

Casa do Eletricista CÂMERAS

Ela cita que, dados do boletim do Deral atualizados na última quarta-feira (10) mostram que a produção do milho também teve aumento. Em 2018, a produção do milho safrinha fechou em 2.300.000 toneladas e a estimativa para 2019 é de 2.600.000 toneladas. “A área e a produção são maiores e as variedades do milho no campo também são mais resistentes, e essa época do ano está com clima bem melhor do que ano passado. Na época do plantio choveu e o milho desenvolveu bem”.

 

Menor risco

“Como ocorreu o plantio antecipado da soja a ideia é termos um período maior para plantar o milho da 2ª safra”, comenta o produtor Valdecir José. “Com isso, existe a projeção de termos menor risco no processo de desenvolvimento das lavouras, pois devem ocorrer menos condições de seca durante o ciclo”.

Em relação à comercialização, o produtor comenta que os preços do milho atingiram patamares mais elevados em relação aos do ano passado. “Isso faz com que tenhamos mais possibilidade de investirmos em tecnologia de manejo do solo e qualidade dos grãos”, enfatizou ao mencionar que as condições climáticas são fundamentais para o resultado final.

Com o inverno se aproximando a engenheira agrônoma do Deral Jean Marie Ferrarine enfatiza que o desenvolvimento das lavouras de milho fica mais lento e as fases da cultura poderão demorar mais. Mas, se o clima continuar bom, em junho as máquinas retornam para as lavouras para iniciar a colheita.

 

Perdas

Já a produção da soja foi mais complicada no ano passado. O período de estiagem em novembro e janeiro comprometeu a cultura e trouxe prejuízos para os agricultores. O Deral fechou os números desta cultura com perdas de 39% da produção com 2.200 quilos por hectare.

Os dados mostram que na safra 2017/2018 a área de cultura da soja foi de 480.800 hectares e a produção de 1.693.000 toneladas. Na safra 2018/2019 a área teve um leve crescimento de 0,25% chegando a 481.990 hectares e a produção fechou em 1.024.700 toneladas.

 

Brasil e Paraná

Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgados na última quinta-feira (11), apontam que, em março, a produção de cereais, leguminosas e oleaginosas para 2019 foi estimada em 230,1 milhões de toneladas, 1,6% acima da safra de 2018 (mais 3,6 milhões de toneladas) e 0,6% superior ao obtido na 2ª estimativa (mais 1,3 milhão de toneladas). O Paraná ocupa a segunda posição na colocação de produtor nacional de grãos, representando 15,9% da produção total, perdendo para o Mato Grosso com 27,0%.

O arroz, o milho e a soja representam 93,1% da estimativa da produção. Eles respondem por 87,2% da área a ser colhida. Em relação a 2018, houve aumento de 4,8% na área do milho, 2,0% na área da soja e queda de 10,0% na área de arroz. Somente o milho teve acréscimo de produção em 11,9%, enquanto que a soja apresentou queda de 4,5% e 10,6% o arroz.

A estimativa da produção de milho cresceu 1,9% e totalizou 91 milhões de toneladas. Em relação ao ano anterior, a perspectiva da produção encontra-se 11,9% maior. Na 1ª safra de milho, a estimativa da produção alcançou 25,7 milhões de toneladas, decréscimo de 1,7% em relação à última informação.

 

Boletim

Conforme o último boletim – atualizado na data de 29 de março – do Departamento de Economia Rural (Deral) da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento, a safra de grãos 2018/2019 do Paraná deve atingir 37,1 milhões de toneladas. “Comparativamente com o potencial inicial, a safra teve redução de 5%, pois a expectativa do Deral era que essa cultura atingisse 3,3 milhões de toneladas em condições de clima normais. A área do milho registrou aumento de 8%, passando de 330,7 mil hectares para 357,6 mil hectares”, retrata o relatório.

O Deral ainda pontua que “O milho da segunda safra tem área estimada em 2,2 milhões de hectares, um crescimento de 6% em relação à safra 17/18, quando era de 2,1 milhões de hectares. O Deral estima a produção de 13 milhões de toneladas, 42% a mais do que na safra anterior, quando atingiu 9,1 milhões de toneladas”.

 

Com Jornal do Oeste e agências 

TOPO