Fale com a gente

Paraná Ensino superior

Mestrado em Educação: primeiro programa da UEPG completa 30 anos com 398 formados

O PPGE-UEPG foi responsável por criar o primeiro Mestrado da universidade, oficializada pela Resolução Universitária nº 002, de 31 de março de 1993

Publicado

em

(Foto: UEPG)

O Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade Estadual de Ponta Grossa (PPGE-UEPG) celebra trinta anos de atuação na produção de conhecimentos científicos em 2024. O PPGE-UEPG foi responsável por criar o primeiro Mestrado da universidade, oficializada pela Resolução Universitária nº 002, de 31 de março de 1993. Em abril de 1994, iniciaram as aulas da primeira turma. Dois anos após a criação, em 1996, cinco alunos do programa tiveram suas dissertações defendidas e publicadas – os primeiros mestres formados pela UEPG.

O Ministério da Educação (MEC) reconheceu o PPGE em 2002. Em 2010, foi criado o Doutorado em Educação da UEPG, que iniciou suas atividades no ano seguinte.

Até sua criação, a UEPG contava com cursos de especialização, sendo boa parte na área de Educação. O índice de docentes pós-graduados também era baixo e a maioria detinha apenas título de graduação. Na década de 1990, aumentou a demanda por pós-graduação no Brasil, sobretudo pela exigência para concursos em universidades públicas. Esta política de incentivo à pós-graduação, aliada à promoção de cursos de especialização de Pedagogia, foi o pontapé para a criação do PPGE.

Uma comissão especial, composta por seis professores vinculados aos cursos de Licenciatura da UEPG, ajudou a viabilizar de implementação do PPGE e elaborar sua primeira grade curricular e as linhas de atuação. A professora Graciete Tozetto Góes, atual diretora administrativa da Pró-Reitoria de Graduação (Prograd), foi uma das fundadoras. Ela explica que a iniciativa foi possível pois os professores fundadores haviam retornado, há pouco tempo, de experiências pessoais em Mestrado e Doutorado em outras universidades e difundiram a expertise.

“O PPGE é importante pelo pioneirismo. A partir do momento que foi instituído, ele estimulou e tornou-se ponto de referência para a implementação de outros programas na UEPG. Não tenho dúvida que o impacto do programa mudou a forma que a universidade e seus cursos enxergavam a pesquisa, que até então era limitada”, explica.

A UEPG seguiu a tradição de outras universidades mundo afora, que iniciaram os investimentos em pós-graduação pela área de Educação. O primeiro coordenador do PPGE, Ivo José Both, explica que havia demanda na época para a criação do programa. “Quando pensamos em formação profissional, de qualquer tipo, temos que pensar primeiramente na formação de professores para as demais áreas”, explica.

No início dos trabalhos, o programa contou com apoio de docentes de outras instituições, como a Universidade Federal do Paraná (UFPR) e a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). A professora Maria do Rosário Knechtel, da UFPR, participou da criação do PPGE, a convite da comissão. Aos 92 anos, a docente recorda os desafios enfrentados nos anos iniciais do Mestrado em Educação.

“No início nós tínhamos dificuldade, sobretudo para encontrar referências bibliográficas para as aulas teóricas e as pesquisas. O diálogo entre a UEPG e a UFPR foi fundamental, neste começo, e apesar dos desafios, foi muito satisfatório colaborar com este intercâmbio entre as duas universidades”, diz.

A criação do PPGE trouxe mudanças significativas que puderam ser sentidas em toda universidade e também na região. Para o vice-reitor da UEPG, Ivo Mottin Demiate, o início da Pós-graduação stricto sensu foi uma virada de chave para a instituição, que pode observar com seus próprios olhos.

“Enquanto o PPGE estava sendo implantado, eu me mudava para São Paulo para fazer meu Mestrado, assim como muitos outros alunos da UEPG. Sou testemunha, enquanto ex-estudante, da transformação promovida pela pesquisa e a pós-graduação, que permitiu a continuidade da formação dos nossos alunos em nossa universidade e garante a permanência de profissionais especializados em nossa cidade e região”, celebra o vice-reitor.

Números

Em seu trigésimo ano de atuação, o PPGE-UEPG atingiu resultados impressionantes: formou 398 mestres e 117 doutores. Os 456 egressos atuam em diferentes segmentos da área de Ensino, sendo que muitos regressaram à instituição como docentes. Dos 29 professores que compõem o quadro do Programa, nove são egressos. O PPGE é composto por 20 Grupos de Pesquisa, norteados pelas linhas de formação “Ensino e Aprendizagem” e “História e Políticas Educacionais”.

O programa detém excelentes pontuações na Avaliação Capes de Pós-graduação, com Conceito 5, desde 2013, e em sua revista científica, Práxis Educativa, considerada Nível A1 (nota máxima). Pela revista são publicados mais de cem artigos científicos anualmente, produzidos pelos pesquisadores do PPGE e de universidades de todo o mundo, fruto da alta internacionalização promovida pelo Programa.

Simpósio

Para celebrar o trigésimo aniversário do primeiro programa de pós-graduação stricto sensu da universidade, professores, estudantes e egressos reuniram-se para o 1º Simpósio do PPGE, que ocorreu no Centro Integrar do Campus Uvaranas da UEPG. Professores, estudantes e egressos celebraram o momento, lançaram livros, participaram de mesas de debates e palestras com a temática da Educação e promoveram o reencontro de diferentes gerações.

Com Agência de Notícias do Estado do Paraná

Clique aqui e participe do nosso grupo no WhatsApp

Copyright © 2017 O Presente