TokLar Estofados
Paraná conscientização

Parque Nacional instala placas para evitar que turistas joguem moedas nas Cataratas do Iguaçu

Placas alertam que é proibido jogar moedas nas Cataratas, em Foz do Iguaçu (Foto: William Brisida/RPC)

Depois de quase 330 quilos de moedas serem retirados das Cataratas do Iguaçu, em Foz do Iguaçu, na última limpeza do Corpo de Bombeiros, o Parque Nacional do Iguaçu instalou placas de conscientização para alertar os visitantes.

Segundo o parque, a limpeza ocorreu em setembro e a quantidade foi um recorde na história. As placas foram instaladas, na sexta-feira (01), porque o gesto repetido dos turistas causa danos à natureza.

As moedas podem ser engolidas por peixes e pássaros que confundem o brilho do dinheiro com as presas que consomem, explicou o biólogo do Parque nacional do Iguaçu Pedro Fogaça.

Casa do Eletricista folha LORENZETTI

“Principalmente peixes e as aves aquáticas que frequentam o Rio Iguaçu acabam confundindo com seu alimento e ingerem. Isso causa sérios problemas para essas espécies.”

Segundo os especialistas, o dano ambiental começa desde a dificuldade de fazer a limpeza, até o problema em longo prazo, com a dissolução das moedas e os metais pesados delas, como o níquel e cobre, que ficam na água.

De acordo com o biólogo do Parque nacional do Iguaçu Pedro Fogaça, foram retiradas moedas que estavam há mais de 30 anos no Rio Iguaçu.

“Ela vai se corroendo e esse metal pesado acaba contaminando. Realmente é uma contaminação química da água que afeta toda a cadeia alimentar.”

A equipe especializada do Corpo de Bombeiros, conforme o parque, fez o trabalho de tirar as moedas que se acumulam entre pedras, algas e buracos em setembro.

A limpeza é realizada pontualmente, dentro das programações de atividades ambientais do parque.

Dinheiro nas Cataratas

Ao todo foram recolhidos R$ 14 mil, conforme o parque, que serão doados para projetos sociais.

Na próxima semana, será aberto um edital para as instituições se candidatarem. Os 130 quilos de moedas estrangeiras serão reciclados.

Segundo o parque, os brasileiros foram os que mais jogaram moedas. Algumas delas estão fora de circulação há mais de 20 anos.

Em seguida aparece o dinheiro argentino e paraguaio. Outras moedas, segundo a equipe do parque, vieram de China, Panamá, Israel e África do Sul.

“A gente vê várias moedas de países diferentes e a gente vai atrás para ver de qual país é. E a gente se surpreende porque são do Japão, Austrália, Canadá”, contou a estagiaria do parque Gerliane Benitez Viana.

Com RPC Foz do Iguaçu

TOPO