Brincando na Praça 2019
Paraná Internacional

Professoras paranaenses trabalham em projeto na Universidade de Cambridge; uma delas é ex-rondonense

Fotos: Divulgação

Por meio da submissão e aprovação de uma projeto de pesquisa pelo Collaboration Call do Conselho Britânico, aprovado no segundo semestre de 2018 e vigente até agosto de 2019, o qual investiga a formação em EMI – English as a Medium of Instruction (inglês como meio de instrução) para professores, duas professoras pesquisadoras paranaenses, uma delas ex-moradora de Marechal Cândido Rondon, estiveram na Universidade de Cambridge, na Inglaterra, no período de 05 a 16 deste mês para concluir a análise de dados.

Os pesquisadores envolvidos na pesquisa foram as brasileiras doutora Larissa Giordani Schmitt (docente e coordenadora Institucional do Paraná Fala Inglês/Unioeste – Universidade Estadual do Oeste do Paraná), ex-rondonense, a doutora Eliane Segati Rios Registro (docente, coordenadora estadual do Programa Paraná Fala Idiomas e institucional da UENP e assessora de Relações Internacionais da UENP) e o britânico Hugh Moss, conselheiro sênior da Universidade de Cambridge. O projeto prevê, por meio de ações do Programa Paraná Fala Inglês, apoio e acompanhamento na implantação do EMI nas IES do Paraná, ou seja, a oferta de disciplinas em inglês no Ensino Superior, a fim de auxiliar o processo de internacionalização do ensino.

Casa do Eletricista ESCAVAÇÕES

Como parte da pesquisa, que na verdade é um estudo de caso, 13 professores das sete universidades estaduais do Paraná participaram de um curso on-line de EMI, ofertado por Cambridge, entre eles dois da Unioeste. Esses professores, além de fazerem o curso de 40 horas on-line, também participaram respondendo a questionários de acompanhamento do processo, repassando informações de experiências anteriores ao curso e após terem concluído. Desses, alguns já ministraram suas disciplinas em inglês na graduação e pós-graduação, outros têm previsão de oferta para o segundo semestre de 2019 e primeiro semestre de 2020. Além desses os gestores (reitores; pró-reitores de pesquisa e pós-graduação e graduação; e assessores de relações internacionais) e alunos que frequentaram as aulas e atividades ministradas em inglês nas diferentes IES do Paraná, também foram interrogados e acompanhados.

Os resultados desse estudo de caso ajudarão a aprofundar a compreensão dos desafios enfrentados pelos professores, ministrando aulas por meio do inglês; também informará a direção de pesquisas futuras envolvendo uma amostra mais ampla de professores e também estudantes, visando considerar as experiências constatadas a fim de conduzir a preparação e oferta das disciplinas em inglês, da forma mais eficaz possível.

Além disso, este estudo contribuirá para o processo de internacionalização das universidades estaduais do Paraná, ampliando o número de professores e estudantes internacionais, auxiliando para que a comunidade acadêmica e científica possam cada vez mais apresentar e publicar trabalhos acadêmicos em inglês.

 

Com assessoria 

TOPO