Copagril
Paraná Estudo Dieese

Regime intermitente representa 11,9% do saldo de empregos no Paraná desde a reforma trabalhista

Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

As contratações em regime intermitente representam 11,9% do saldo de empregos no Paraná desde que a reforma trabalhista entrou em vigor, em novembro de 2017, de acordo com um estudo do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Econômicos (Dieese), divulgado nesta quinta-feira (10).

Entre novembro de 2017 e agosto de 2019, o saldo de empregos formais no estado foi de 62.288 postos de trabalho. Desse total, 7.408 trabalhadores foram contratados pelo regime intermitente, segundo o estudo. A análise aponta uma tendência de aumento desse tipo de contratação.

Casa do Eletricista ESCAVAÇÕES

O contrato de trabalho intermitente é uma prestação de serviços em períodos alternados, com remuneração proporcional ao período trabalhado. Essa prestação de serviços deve ser registrada em carteira e há direitos trabalhistas previstos, como férias e 13º salário.

Conforme o estudo, o salário médio dos contratados no Paraná no período analisado foi de R$ 1.019,55, o equivalente a 68% da remuneração média total, que foi de R$ 1.499,24.

 

CONTRATAÇÃO POR SETORES

Entre os setores da economia, o trabalho intermitente é mais representativo na construção civil, onde o total de trabalhadores contratados dessa forma representa 51,9% do saldo total do setor desde a reforma trabalhista.

A construção civil é seguida pelo comércio. Nesse setor, quase 10% do saldo de contratações no período foram pelo regime intermitente.

 

Com G1

TOPO