Copagril
Poder Legislativo Pedido protocolado na Câmara

Empresário pede a cassação do prefeito Marcio Rauber

Foto: Divulgação

Foi protocolado na Câmara de Vereadores de Marechal Cândido Rondon na manhã desta terça-feira (02) pedido de cassação do mandato do prefeito Marcio Rauber. O protocolo foi feito pelo empresário rondonense Alceu Veríssimo.

O empresário denuncia o prefeito de ter sido conivente no caso em que empresa que seria ligada ao vereador Nilson Hachmann executava obras de pavimentação para o município de Marechal Cândido Rondon, o que é vedado por lei. Nilson chegou a ser preso em operação do Gaeco e responde a processo judicial sobre o assunto. Na Câmara também é alvo de processo disciplinar que pode levar a perda do seu mandato de vereador.

Casa do Eletricista folha LORENZETTI

Segundo a denúncia de hoje, o prefeito tinha conhecimento da irregularidade, apontada tanto pelo Tribunal de Contas do Estado do Paraná, como também por matérias jornalísticas divulgadas pela imprensa, por denúncia do vereador Josoé Pedralli na Câmara e pela própria prisão do vereador pelo Gaeco.

Mesmo assim, segundo a denúncia, o prefeito Marcio Rauber teria deixado de observar os princípios básicos da administração pública. “Um atentado contra a população local, visto que este tinha pleno conhecimento e consciência das ilegalidades cometidas pelo Vereador”, diz trecho da denúncia.

O empresário diz que o prefeito sequer cogitou cancelar os contratos, conservando os mesmos e curvou-se “aos atos ilegais e imorais a fim de beneficiar o vereador Nilson Erno Hachmann”, cita em outro trecho.

A denúncia deverá ser remetida pela presidência da Câmara para análise da Procuradoria Jurídica. Depois deverá ser submetida a plenário na próxima sessão ordinária para votar a sua admissibilidade. Caso seja admitida, será instalada Comissão Processante para apurar os fatos narrados.

Para cassar o prefeito são necessários dois terços dos votos dos vereadores. Como em Marechal Cândido Rondon são 13 vereadores, seria necessário o voto favorável de pelo menos 9 edis. A votação deve ser nominal e aberta.

 

Com Blog do Jadir

TOPO