Poder Legislativo Terceira votação

Orçamento geral de Marechal Rondon para 2019 será de R$ 213,7 milhões

Orçamento foi aprovado hoje (19) em terceira votação (Foto: Cristiano Viteck)

Câmara de Vereadores de Marechal Cândido Rondon aprovou nesta quarta-feira (19), em terceira e última votação, o projeto de lei 46/2018, do Poder Executivo Municipal. O texto fixa o orçamento geral do município para 2019 em R$ 213.798.000,00.

O valor representa um aumento de R$ 14.947.600,00 em relação ao orçamento geral deste ano, que foi de R$ 198.850.400,00.

O planejamento orçamentário de 2019 estima uma receita de R$ 189 milhões para o Poder Executivo, com previsão de despesas de R$ 179.840.500,00.

Para o Poder Legislativo a previsão de despesas é de R$ 8.094.000,00.

No Saae, tanto a receita quanto a despesa estão orçadas em R$ 24.178.000,00.

O Fundo Municipal de Desenvolvimento (FMD) tem a receita estimada em R$ 190 mil e as despesas em R$ 205.500,00.

A Fundação Promotora de Eventos (Proem) tem receita orçada de R$ 430 mil e, as despesas, em R$ 1.480.000,00.

 

Emenda

Durante o trâmite, o projeto de lei sofreu emenda na segunda votação, ocorrida no início desta semana.

No texto original, o artigo 11 previa que o prefeito poderia remanejar até 30% do total da despesa prevista no orçamento de cada uma das unidades gestoras, sem precisar de autorização do Poder Legislativo.

Porém, a aprovação da emenda – de autoria dos vereadores Adelar Neumann, Adriano Backes, Adriano Cottica, Arion Nasihgil, Claudio Kohler, Gordinho do Suco, Josoé Pedralli e Ronaldo Pohl – reduziu o limite desta autorização para 8%.

A emenda foi aprovada com oito votos favoráveis, dados pelos autores da proposta. Votaram contra a alteração os vereadores Dorivaldo Kist (Neco), Nilson Hachmann, Portinho e Vanderlei Sauer. O presidente Pedro Rauber somente votaria em caso de empate, o que não aconteceu.

A permissão de remanejar até 8% do orçamento sem consultar a Casa de Leis é o menor índice dos últimos anos, conforme dados apresentados por Nilson Hachmann na discussão da emenda. Em 2011 e 2015, por exemplo, a autorização de remanejamento havia sido de 20%. Em 2012, o Poder Legislativo havia aprovado 10%. Em 2018, o índice foi de 15%.

Por outro lado, Adriano Cottica, um dos autores da emenda, defendeu o índice de 8%, que representa cerca de R$ 14 milhões. “É um valor bastante considerável”, garantiu.

 

Orçamento geral para 2019

PODER EXECUTIVO

– Gabinete do Prefeito: R$ 4.408.225,00

– Secretaria de Governo: R$ 915.925,00

– Procuradoria Geral: R$ 2.038.525,00

– Secretaria de Coordenação e Planejamento: R$ 22.690.425,00

– Secretaria de Administração: R$ 5.790.300,00

– Secretaria de Fazenda: R$ 12.771.200,00

– Secretaria de Educação: R$ 47.450.747,50

– Secretaria de Esporte e Lazer: R$ 3.314.155,00

– Secretaria de Cultura: R$ 2.786.625,00

– Fundo Municipal de Cultura: R$ 12.780,00

– Secretaria de Indústria, Comércio e Turismo: R$ 3.834.455,00

– Secretaria de Agricultura e Política Ambiental: R$ 14.820.685,00

– Secretaria de Saúde: R$ 2.047.945,00

– Fundo Municipal de Saúde: R$ 46.215.421,50

– Secretaria de Viação e Serviços Públicos: R$ 18.584.640,00

– Secretaria de Assistência Social e Habitação: R$ 2.018.795,00

– Fundo Municipal de Assistência Social: R$ 3.679.605,00

– Fundo Municipal da Criança e do Adolescente: R$ 508.000,00

– Fundo Municipal de Habitação de Interesse Social: R$ 3.085.200,00

– Secretaria de Mobilidade Urbana: R$ 2.386.855,00

– Reserva de Contingência: R$ 480.000,00 

Receita: R$ 189.000.000,00

Despesa: R$ 179.840.500,00

 

PODER LEGISLATIVO

Receita: R$ 0

Despesa: R$ 8.094.000,00

 

SAAE

Receita: R$ 24.178.000,00

Despesa: R$ 24.178.000,00

 

FMD

Receita: R$ 190.000,00

Despesa: R$ 205.500,00

 

PROEM:

Receita: R$ 430.000,00

Despesa: R$ 1.480.000,00

 

TOTAL RECEITA: R$ 213.798.000,00

TOTAL DESPESA: R$ 213.798.000,00

 

Com assessoria

TOPO