Poder Legislativo Reconstrução

Portinho propõe revitalização de toda a extensão da Avenida Maripá

Vereador Valdir Port (Portinho) (Foto: Cristiano Viteck)

Em indicação apresentada na sessão de ontem (04), o vereador Valdir Port (Portinho) sugere ao governo rondonense que elabore um grande projeto de revitalização da Avenida Maripá, iniciando na Rotatória da Bandeira e se estendendo até a rotatória em frente ao Colégio Estadual Frentino Sachser. A intenção é que a avenida seja totalmente reconstruída.
“Cumpre ressaltar que esta via pública recebeu, ao longo das últimas décadas, apenas melhorias pontuais e paliativas, carecendo de um investimento maior, compatível com sua importância para toda a sociedade rondonense, já que permite a ligação do centro com grandes bairros, além de ser acesso para outros municípios”, justifica Portinho.
Na avaliação dele, com o projeto concluído, a prefeitura poderá buscar recursos junto aos governos estadual e federal para execução das obras.
Já em parceria com o vereador Ronaldo Pohl, Portinho pede à prefeitura que elabore projeto para construção de arena multiuso no Bairro São Lucas. A intenção é, uma vez o projeto concluído, buscar apoio do deputado federal Fernando Giacobo para liberação de grande parte dos recursos necessários para execução da obra através do governo federal, cabendo ao município uma pequena contrapartida.
Por outro lado, em requerimento Portinho e Pohl ainda solicitam que a administração rondonense elabore projeto de lei complementar que permita mudanças na lei complementar 057/2008, ou então aproveite a oportunidade da revisão do Plano Diretor, atualmente em curso, para suprimir a referida matéria.
A lei citada dispõe sobre o parcelamento do solo urbano no município, e em seu artigo 8º, os incisos I e II definem que não deverão ser criados vazios entre a área parcelada e o tecido urbano existente, assim como que só poderão ser parceladas glebas com acesso direto à via pública.
“Na opinião destes dois vereadores, esta exigência poderia ser suprimida, motivo pelo qual apresentamos este requerimento”, defendem.

TOPO