Copagril – Sou agro com orgulho
Poder Legislativo “Educação Menstrual”

Rafael Heinrich e Suko propõem programa municipal para combate à pobreza menstrual

(Fotos: Divulgação)

Tema que ganhou repercussão nacional nas últimas semanas, o debate sobre o combate à pobreza menstrual chegou ao Poder Legislativo de Marechal Cândido Rondon.
Na sessão de ontem (18), os vereadores Rafael Heinrich e Cristiano Metzner (Suko) apresentaram requerimento em que propõem à Prefeitura a implantação de um programa municipal de “Educação Menstrual”, considerando as dificuldades apresentadas pelas meninas, em especial na primeira menstruação (menarca), seguida de período de maior incidência de ciclos irregulares.
Nesse sentido, o programa também deve combater a pobreza menstrual.
Esta é caracterizada por diversos fatores, seja pela falta de acesso a produtos da higiene menstrual, tais como absorventes ou coletores menstruais, ou ainda, pela falta de papel higiênico, sabonete e de banheiros públicos em bom estado de conservação, para o uso das mulheres no período menstrual. Soma-se a estes fatores a falta de informações sobre a saúde menstrual, o autoconhecimento sobre o corpo e dos ciclos menstruais.
Conforme os vereadores, sem terem condições financeiras para adquirirem absorventes, muitas adolescentes e mulheres fazem uso de soluções improvisadas, com pano, roupas velhas e papel. Isso pode acarretar alergias e irritações na pele e mucosas, além de infecções urogenitais. Some-se a isso os danos à saúde emocional.
Há também a situação de meninas estudantes, que têm seu desenvolvimento educacional comprometido, visto que deixam de ir à escola quando estão em período menstrual, justamente por não terem condições de adquirir, por exemplo, absorventes.

 

Propostas

Casa do Eletricista ROWA

Por isso, no requerimento aprovado nesta segunda-feira, Rafael Heinrich e Suko solicitam à Secretaria Municipal de Saúde que implante um programa de Educação Menstrual para crianças e adolescentes na faixa etária em que ocorre a menarca, com maior incidência entre 9 a 12 anos. O objetivo seria repassar informações sobre a saúde e o ciclo de menstruação e, assim, prevenir as doenças associadas à pobreza menstrual. Junto a isso, a pasta poderia incluir neste programa o acesso ao absorvente, especificamente para este público.
Já à Secretaria Municipal de Assistência Social os vereadores propõem que inclua absorventes descartáveis nas cestas básicas repassadas às famílias em situação de vulnerabilidade social. “Isso é importante pois, onde há situação de insegurança alimentar, itens como absorventes podem ficar por último nas opções do que se consegue comprar”, justificam.
À Secretaria Municipal de Educação eles questionam se estão constantemente disponíveis papel higiênico e sabonete líquido nos banheiros das escolas, e se os mesmos são mantidos sempre em boas condições de conservação, garantindo que as mulheres tenham local adequado, quando surpreendidas por eventuais ciclos irregulares ou até mesmo na menarca.
Junto a isso, eles sugerem que seja realizado levantamento com relação ao número de meninas matriculadas nas escolas municipais que já começaram a menstruar, a título de informação para o planejamento de ações específicas.
O mesmo questionamento feito à Secretaria de Educação de Marechal Cândido Rondon, Rafael Heinrich e Suko encaminharão ao Núcleo Estadual de Educação de Toledo, responsável pelas escolas estaduais existentes no Município.

Nied 2021 J1

 

Com assessoria

Combate Max Natal
Grupo Costa Oeste 2021

Clique aqui e participe do nosso grupo no WhatsApp

Rui Sonho nov/dez 2
TOPO