Copagril – Compras no Site
Policial

Força Alfa reforça policiamento em Rondon

Na noite de ontem (02), policiais da Força Alfa fizeram blitze de trânsito e arrastões em estabelecimentos comerciais: ação vai continuar por tempo indeterminado (Foto: Maria Cristina Kunzler)

O n uacute;mero de assaltos em Marechal C acirc;ndido Rondon neste in iacute;cio de 2010 est aacute; preocupando empres aacute;rios, lideran ccedil;as e a comunidade em geral. E a sensa ccedil; atilde;o de inseguran ccedil;a n atilde;o eacute; agrave; toa. Conforme dados da Pol iacute;cia Militar (PM), somente no uacute;ltimo final de semana o n uacute;mero de roubos – tr ecirc;s – j aacute; ultrapassou a m eacute;dia mensal. Janeiro, ali aacute;s, fechou com mais do que o dobro deste tipo de crime.
Para combater assaltos, as autoridades policiais de Marechal Rondon est atilde;o contando com o refor ccedil;o da For ccedil;a Alfa. Ontem (02) policiais fizeram arrast otilde;es em estabelecimentos comerciais e blitze. Estas a ccedil; otilde;es ser atilde;o feitas por tempo indeterminado. A afirma ccedil; atilde;o eacute; do comandante da 2 ordf; Companhia da PM, capit atilde;o Jos eacute; Osmar Novach. ldquo;Estamos intensificando o patrulhamento nos hor aacute;rios que sabemos que pode ocorrer esse tipo de evento (assaltos). Estamos buscando informa ccedil; otilde;es at eacute; em aux iacute;lio agrave; Pol iacute;cia Civil, verificando alguns locais em que desconfiamos que h aacute; reuni atilde;o de pessoas suspeitas rdquo;, declara.
Conforme Novach, ontem foi mantido contato com o comandante da For ccedil;a Alfa, major Sampaio, no sentido de intensificar o patrulhamento no munic iacute;pio e promover algumas opera ccedil; otilde;es, como a realizada na noite de ontem, com o intuito de auxiliar a Pol iacute;cia Militar a tentar coibir os crimes e dar uma sensa ccedil; atilde;o maior de seguran ccedil;a aos mun iacute;cipes. ldquo;Como cidad atilde;o rondonense tamb eacute;m sentimos este problema. Assim como os assaltos atingem a popula ccedil; atilde;o, tamb eacute;m atingem aos policiais rdquo;, afirma.
O comandante da 2 ordf; Cia refor ccedil;a que os crimes acontecem porque existem pessoas com m aacute; iacute;ndole e que mesmo com o trabalho de preven ccedil; atilde;o da Pol iacute;cia Militar os criminosos acabam tendo ecirc;xito por algumas vezes. Por eacute;m, como j aacute; aconteceu em outros casos, o n uacute;mero de assaltos logo tende a acabar. ldquo;J aacute; ocorreu isso (onda de assaltos) e conseguimos prender os autores e tir aacute;-los de circula ccedil; atilde;o. O que acontece tamb eacute;m eacute; que muitas vezes prendemos alguns assaltantes e eles ficam presos por um certo tempo. Posteriormente, retornam agrave;s ruas e voltam a cometer crimes rdquo;, aponta.
Al eacute;m do pr oacute;prio trabalho, a pol iacute;cia tamb eacute;m precisa contar com o aux iacute;lio da popula ccedil; atilde;o. ldquo;Dependemos da pr oacute;pria popula ccedil; atilde;o para que nos auxilie. Ao denunciar pessoas que andam armadas, que cometem delitos ou est atilde;o em atitude suspeita, se ligar para o 190 sem se identificar qualquer informa ccedil; atilde;o que venha para n oacute;s ser aacute; analisada. Pedimos que a comunidade nos d ecirc; um voto de confian ccedil;a. O que n atilde;o pode eacute; a comunidade, a partir destes fatos, culpar a pol iacute;cia. N atilde;o eacute; a pol iacute;cia culpada, e sim quem est aacute; praticando os assaltos. Algumas pessoas sempre querem colocar a culpa em algu eacute;m rdquo;, destaca.

Motivos
De acordo com Novach, a pol iacute;cia trabalha com suposi ccedil; otilde;es para o aumento da criminalidade em Marechal Rondon. Um dos motivos seria o fato do munic iacute;pio estar localizado em uma aacute;rea de fronteira com outro pa iacute;s e nesta regi atilde;o, de Foz do Igua ccedil;u a Gua iacute;ra, foi intensificado o combate ao contrabando, tr aacute;fico de drogas, de armas, dentre outros il iacute;citos. ldquo;N atilde;o sabemos ainda se a maioria dos assaltos no munic iacute;pio se trata disso, mas uma das possibilidades eacute; que com o policiamento refor ccedil;ado na fronteira, pessoas que trabalhavam com contrabando migraram para a cidade. Outra hip oacute;tese s atilde;o assaltantes que estavam presos e ao serem postos em liberdade voltaram a cometer estes crimes. Mas isso s atilde;o somente suposi ccedil; otilde;es rdquo;, refor ccedil;a.

Casa do Eletricista – NÃO PAGUE AR

nbsp;

Cuidados para evitar um assalto
Conforme o comandante da 2 ordf; Companhia da Pol iacute;cia Militar, capit atilde;o Jos eacute; Osmar Novach, a partir de alguns cuidados pessoais eacute; poss iacute;vel, se n atilde;o evitar, ao menos dificultar a a ccedil; atilde;o de bandidos. Isto porque muitas vezes a falta de aten ccedil; atilde;o motiva um criminoso a agir, j aacute; que ele percebe que a futura v iacute;tima est aacute; desatenta.
Em rela ccedil; atilde;o a ve iacute;culos, o capit atilde;o sugere que o motorista sempre procure um lugar movimentado e iluminado para estacion aacute;-lo. Se houver um sistema de seguran ccedil;a, como alarme, o mesmo deve sempre ser utilizado. ldquo;Nunca deixar objetos de valor sobre os bancos, nem mesmo documentos no porta-luvas e debaixo do banco. Se for parar ou estacionar em um cruzamento, principalmente agrave; noite, observar se tem alguma pessoa em atitude suspeita nas proximidades. Outra atitude que deve ser evitada eacute; parar o carro para atender ao celular com todos os vidros abertos rdquo;, detalha.
Na rua, os transeuntes devem evitar lugares sem ilumina ccedil; atilde;o ou pouco movimento. J aacute; em bancos, jamais pedir ajuda a desconhecidos, ainda mais quando se trata de idosos, j aacute; que eacute; comum estes levarem o cart atilde;o e a senha escrita em um papel. ldquo;Procure sempre ajuda com funcion aacute;rios do banco, que sempre est atilde;o devidamente identificados rdquo;, menciona.
Quando for sacar dinheiro em caixa eletr ocirc;nico, evitar hor aacute;rios em que n atilde;o h aacute; muitas pessoas e n atilde;o sacar grandes quantias. Quem leva malotes, por sua vez, ao desconfiar que est aacute; sendo seguido, deve mudar v aacute;rias vezes o caminho. Se confirmar o fato, entre em um estabelecimento com movimento e ligue para a pol iacute;cia. ldquo;Quem costuma levar malote ao banco, procure n atilde;o dispor de muito valor em uma uacute;nica vez, ou seja, divida as quantias e v aacute; mais de uma vez agrave; ag ecirc;ncia rdquo;, comenta o policial.

Preservar a vida
Segundo Novach, as autoridades policiais sempre recomendam que em qualquer tipo de assalto ou situa ccedil; atilde;o em que o bandido est aacute; armado a v iacute;tima precisa procurar preservar a vida e a integridade dela mesma e de poss iacute;veis pessoas que estejam pr oacute;ximas. Por isso, reagir jamais. ldquo;N atilde;o se deve fazer nenhum movimento brusco que pode causar desconfian ccedil;a do assaltante, at eacute; porque agrave;s vezes por um objeto de baixo valor pode ocorrer uma morte ou ferimento rdquo;, salienta.
Por isso, em um assalto o ideal eacute; que a v iacute;tima mantenha a calma e deixe bem claro para o assaltante que n atilde;o vai reagir. ldquo;Ao mesmo tempo, eacute; bom que a v iacute;tima grave mentalmente caracter iacute;sticas f iacute;sicas do assaltante que facilitam depois o reconhecimento do mesmo. E assim que for poss iacute;vel j aacute; ligar para o 190 e repassar todas as informa ccedil; otilde;es do bandido, como altura, cabelo, se tem tatuagens, marca de nascen ccedil;a, porte f iacute;sico, enfim, caracter iacute;sticas f iacute;sicas. Isso facilita o trabalho da pol iacute;cia rdquo;, conclui o comandante da Pol iacute;cia Militar.

TOPO