Policial

Homem vestido de mulher é encontrado morto dentro de carro

Umuarama 24 horas
Polícia ainda não confirmou a causa da morte

No início da madrugada desta quarta-feira (03), o Corpo de Bombeiros de Umuarama foi chamado para dar atendimento a um homem que estava desacordado dentro de seu veículo na Avenida Brasil, nas imediações da Praça Santos Dumont, próximo ao Banco Sicredi, área central da cidade.

No local, os bombeiros constataram que a pessoa estava aparentemente em óbito dentro do carro, que estava trancado por dentro. O corpo estava na posição sentada no banco do motorista de um veículo VW/Gol, com placa de Umuarama.

Casa do Eletricista – RETOMA

Os socorristas arrombaram a porta do carro e constataram que o homem já estava morto. Seu corpo ainda não apresentava rigidez e não possuía nenhuma lesão ou trauma que indicasse morte violenta. A vítima foi identificada como sendo Rubens Jorge, com 67 anos de idade e morador em Umuarama. Familiares estiveram no local, mas não esperaram a conclusão dos trabalhos da perícia e foram embora consternados.

A Polícia Militar e Investigadores do setor de homicídios foram acionados e estiveram presentes. Peritos criminais do Instituto de Criminalística analisaram a cena do crime e acreditam numa morte natural, um mal súbito fulminante.

Entretanto, chamou a atenção dos policiais o fato do homem estar completamente vestido como mulher, os faróis do veículo terem ficados acessos e o carro estar trancado pelo lado de dentro. A região onde o corpo e o veículo foram localizados é comumente frequentada por travestis, não sendo raros as confusões decorrentes de brigas entre eles e os clientes.

Devido a estes detalhes, o corpo foi recolhido por funcionários do Instituto Médico Legal para se ter a certeza da causa da morte, inclusive recorrendo a exames toxicológicos e de alcoolemia. O laudo deverá ficar pronto em no máximo 30 dias.

O veículo da vítima também foi recolhido ao pátio da Delegacia, onde deverá ficar à disposição para, se necessário, passar por exames periciais.

O setor de homicídios da Sétima Subdivisão colheu todos os dados necessários e aguardará o resultado das perícias para saber se o caso será tratado como homicídio ou morte natural. Mas, conforme o Investigador Acácio, chefe da equipe de homicídios, o fato do corpo não apresentar sinais de violência, a princípio, os remete para uma morte natural.

TOPO