Copagril
Policial NARCOTRAFICANTE

Leilão de fazendas que pertenciam ao maior traficante da América do Sul não tem interessados

(Foto: Divulgação/ Topo Leilões/G1PR)

O leilão de duas fazendas que pertenciam a Luis Carlos da Rocha, conhecido como o Cabeça Branca, considerado pela Polícia Federal como um dos maiores traficantes da América do Sul, não teve interessados. Nesta terça-feira (13), foi a segunda tentativa de venda das propriedades.

O primeiro leilão foi realizado no dia 30 de julho, e também não houve interessados. Na segunda tentativa, realizada de forma online e presencial, os valores tiveram desconto de 20%. As fazendas ficam em Marcelândia, no Mato Grosso.

Conforme o site da empresa de leilão oficial, que é de Curitiba, uma das propriedades tem 596,4595 hectares e foi avaliada em R$ 6.013.920. Nessa fazenda há dois barracões, cinco casas e um imóvel em construção e 325 hectares prontos para produção de grãos.

Casa do Eletricista PISCINAS

A segunda fazenda tem 620,5725 hectares e é coberta por mata nativa. A propriedade foi anunciada por R$ 992.916.

Como não teve interessados, as fazendas serão oferecidas por venda direta pelo próximos três meses. A empresa Topo Leilões é responsável pela venda. Se nesse período não tiver interessados, o processo volta à Justiça Federal do Paraná para definir como as propriedades serão vendidas.

O dinheiro da venda dessas fazendas serão utilizadas para aparelhar a Polícia Federal e também no combate ao tráfico de drogas.

TOPO