Policial Pressão psicológica

PM emite relatório sobre morte durante assalto em Marechal Rondon; confira 

(Foto: Divulgação)

A Polícia Militar (PM) de Marechal Cândido Rondon divulgou o relatório policial a respeito do assalto que terminou em morte na segunda-feira (17). Confira.

Por volta das 04 horas, a PM foi acionada para se deslocar à Linha Guará, em Marechal Cândido Rondon, onde teria acontecido um roubo em uma chácara. Na mesma solicitação, também o Samu foi acionado, pois um dos moradores da residência teria passado mal e estaria desacordado desde a saída dos criminosos da residência.

[ Publicidade ]
Casa do Eletricista – TORNEIRAS ELÉTRICAS

Chegando ao local, uma das enfermeiras do Samu constatou o óbito de Herbert Ladwig, de 71 anos. A outra moradora relatou que os indivíduos entraram na residência e renderam o casal ainda na cama. Os criminosos teriam pedido as chaves da camionete Fiat Toro vermelha e ainda teriam pedido orientações de como ligar o veículo.

[ Publicidade ]
Nied maio 2022 X

Segundo ela, provavelmente eram quatro indivíduos armados e eles faziam ameaças com as armas a todo momento para que liberassem o acesso às senhas bancárias dos aplicativos de celular. Devido ao nervosismo, as vítimas não teriam conseguido desbloquear o aparelho. Os elementos teriam apontado uma arma para cabeça da mulher e solicitaram a senha, dizendo que aquela seria a sua última chance.

Neste momento, o cônjuge da vítima começou a passar mal vendo tal situação até que, em  determinado momento, ele teria reclamado de dor de cabeça e mal-estar, solicitando socorro aos criminosos. Conforme o relatório policial, o homem não tinha forças para se levantar e os criminosos lhe trouxeram água, mandando-o aguardar. Posteriormente, a esposa teria percebido que ele parou de se mover na cama e que não emitia mais nenhum som.

A mulher tinha medo de se levantar da cama devido à pressão psicológica que os elementos fizeram. De acordo com o relato, a mulher teria sido deixada com a cabeça coberta para que não reconhecesse os criminosos. Depois de um tempo ela teria chamado pelos ladrões para que ajudassem seu marido, mas estes já não respondiam. Ela teria ido até a cama onde o marido estava deitado e percebeu que ele já não tinha reação e estava pálido.

Neste momento, a mulher teria se levantado e viu que os criminosos já tinham deixado a residência. Em seguida a mulher teria saído buscar ajuda dos vizinhos, os quais conseguiram o contato com a Polícia Militar. A equipe policial acionou a Polícia Civil e tentaram acionar o Instituto Médico Legal (IML), mas tiveram resposta negativa, pois não se tratava de uma morte violenta.

Os policiais registraram os fatos em boletim de ocorrência, identificaram os envolvidos e a equipe orientou a vítima sobre as medidas cabíveis. A mulher, por sua vez, acionou a funerária para os atos fúnebres.

 

O Presente com PM

Clique aqui e participe do nosso grupo no WhatsApp

TOPO