Ecoville – Maior rede de limpeza
Ford Show Rural
Política Quatro Pontes

“Apenas dois secretários devem permanecer”, diz vice-prefeito; maioria vai se desincompatibilizar para eleição

Vice-prefeito de Quatro Pontes, Tiago Hansel (DEM): “Se eu abrir mão (da candidatura) será para o João (Laufer, prefeito). Meu apoio total será para ele. Mas há tendência para manter a dobradinha” (Foto: Maria Cristina Kunzler/OP)

Os partidos do grupo de situação em Quatro Pontes já estão se reunindo para planejar a eleição de outubro. Com o fim da coligação na proporcional, existe uma tendência de haver algumas junções para tornar siglas com maior viabilidade eleitoral. A informação é do vice-prefeito Tiago Hansel (DEM), que é pré-candidato a prefeito.

“Hoje é necessário que os partidos se juntem para conseguir ter êxito eleitoral. Todo o grupo está conversando bastante e estamos em um diálogo muito claro sobre isso. Daqui alguns dias devemos definir algumas junções de partidos”, declarou o democrata ao O Presente.

Casa do eletricista MINIESCAVADEIRA

De acordo com ele, surpresas não estão descartadas. “Provavelmente teremos algumas surpresas. Alguns partidos talvez vão mudar”, expôs.

 

Janela partidária

Em março será aberta a janela partidária e o grupo de situação perde oficialmente o vereador Cesar Seidel (Canela). Ele está no Democratas, mas no decorrer da legislatura mudou de lado político, faz hoje oposição ao governo municipal e já adiantou que se filiará ao Podemos. “Do nosso grupo os vereadores devem permanecer nos mesmos partidos”, mencionou Hansel.

 

Desincompatibilização

Os nomes que devem deixar a prefeitura no período de desincompatibilização para a disputa eleitoral não estão ainda todos definidos. No entanto, o vice-prefeito revela que provavelmente apenas dois secretários devem permanecer. “Teremos algumas saídas também em cargos de direção, chefia e assessoria. Estamos com um grupo bom de pré-candidatos”, aponta.

Hansel é secretário de Administração e Planejamento e deve deixar a função mais cedo que os demais secretários, que se desincompatibilizam em abril. O democrata diz que ainda avalia a pré-candidatura em razão das inúmeras atividades profissionais que possui. “Se eu abrir mão (da candidatura) será para o João (Laufer, prefeito). Meu apoio total será para ele. Mas há tendência para manter a dobradinha”, conclui.

 

O Presente

TOPO