Ecoville – Maior rede de limpeza
Ford Show Rural
Política Migração partidária

“Vou sair do MDB”, confirma vereador Neco

Vereador rondonense Dorivaldo Kist (Neco) (MDB): “Há possibilidade, sim, de fazer parte do Democratas, como também de algum outro partido que venha a somar com o governo municipal” (Foto: Maria Cristina Kunzler/OP)

A janela partidária, que será aberta em março e permitirá durante um mês que vereadores mudem de partido sem perder o mandato, vai movimentar a política. Em Marechal Cândido Rondon, alguns parlamentares avaliam a troca de partido. No meio de tantas especulações, uma certeza: o vereador Dorivaldo Kist (Neco) deixará o MDB para migrar para uma sigla ligada ao grupo de situação.

Em visita ao Jornal O Presente, Neco disse que uma das possibilidades é assinar ficha de filiação no Democratas, do prefeito Marcio Rauber.

Casa do eletricista MINIESCAVADEIRA

Na ocasião, ele ainda destacou os investimentos que estão sendo realizados em Porto Mendes, incluindo a instalação de uma antena de telefonia móvel mais potente, que tende a resolver de uma vez por todas o problema da falta de sinal de celular no distrito, e como o conjunto de obras deve alavancar o turismo local. Confira.

 

O Presente (OP): O senhor foi eleito pela oposição, mas logo no início da legislatura se tornou aliado do prefeito Marcio Rauber. O senhor deve continuar no MDB ou pretende aproveitar a janela partidária para trocar de filiação?

Dorivaldo Kist (DK): Na minha trajetória política, a partir de 2016, logo que fui eleito, achei um rumo e me aliei ao governo municipal a convite do prefeito Marcio. Estamos juntos com o prefeito e estaremos com ele na próxima candidatura. Estamos vendo um governo sério, competente, que está mostrando realmente por que veio. Há inúmeras obras acontecendo no município todo, tanto no interior como nos bairros e centro.

 

OP: Isso significa então que o senhor deve sair do MDB?

DK: Sim, vou sair do MDB. Só não sei certo ainda em qual partido vou me filiar.

 

OP: O que falta para o senhor definir em qual partido deve se filiar?

DK: Dentro do grupo há várias tratativas sobre quais partidos que vêm para somar. Estamos na espera do mês de março para abril, quando haverá a janela partidária. De qualquer forma vamos fazer parte do grupo do governo municipal.  

 

OP: Pelas conversas atuais a tendência maior é se filiar em qual partido?

DK: Há o Democratas, que hoje é o partido mais forte de Marechal Cândido Rondon. Há possibilidade, sim, de fazer parte do Democratas, como também de algum outro partido que venha a somar com o governo municipal.

 

OP: O Democratas fez a maior bancada na Câmara de Vereadores na eleição de 2016. Na sua avaliação, se filiar ao partido pode tornar uma eventual candidatura à reeleição mais fácil?

DK: Acredito que o grupo como um todo venha facilitar diante do trabalho que vem fazendo o governo municipal. Acho que não importa o partido que vamos aglomerar, mas penso que vai somar como um todo com o trabalho excelente do Poder Executivo.

 

OP: Ano passado o senhor respondeu um processo disciplinar na Câmara por quebra de decoro parlamentar, mas foi absolvido. Esse assunto pode, no seu entendimento, trazer prejuízos na campanha?

DK: Acredito que não, pois mostramos a realidade e a verdade para a população. Isso não passou nada mais do que um jogo político. A política é deste jeito. Eu passei por isso e estamos de cabeça erguida. Todos viram que não era realmente o que estava na mídia e continuamos trabalhando para conseguir mais recursos para Marechal.

 

OP: Porto Mendes sempre foi muito carente de investimentos e, diante dos royalties, as cobranças eram constantes. Sendo vereador do distrito, como o senhor tem avaliado agora os investimentos que estão feitos pelo governo naquela comunidade?

DK: Estou no meu segundo mandato e tudo veio a acontecer depois que fui eleito vereador de Porto Mendes. A demanda era muito grande e a comunidade via que faltavam investimentos. Tive a oportunidade de ser vereador e estão acontecendo vários investimentos, além daqueles que ainda vão acontecer. Houve o recape da rodovia até a divisa com Mercedes, em que o município investiu mais de R$ 2 milhões. Uma obra que era muito necessária. Foi feita ainda a reforma da quadra de esportes da escola, que hoje conta com uma ótima estrutura, além de melhorias no educandário. Todas as linhas do distrito receberam solo brita, algo que nunca tinha acontecido. Tivemos readequações de várias estradas do distrito. Começou a pavimentação com pedra irregular no sentido Porto Mendes a Bela Vista, que foi uma conquista nossa junto ao ex-deputado federal Dilceu Sperafico, na ordem de R$ 250 mil. Tivemos a instalação da antena da Tim, que é uma briga do passado e agora veio a acontecer. A antena já foi instalada e agora faltam apenas os equipamentos. Por meio de um pedido meu está ocorrendo a troca de toda iluminação da avenida de Porto Mendes.

 

Vereador Dorivaldo Kist (Neco) (MDB): “Na avenida principal (de Porto Mendes), com as obras que a prefeitura vai executar, acredito que os empresários também se sentirão motivados a investir no comércio para atrair os turistas” (Foto: Maria Cristina Kunzler/OP)

 

OP: E em relação aos projetos futuros, quais os investimentos que Porto Mendes ainda deve receber?

DK: Já está praticamente concluído o projeto do recape completo da avenida de Porto Mendes. Do Clube Sempre Verde até o portal do Parque de Lazer a área será remodelada, com ampliação da via e calçadões na lateral com tubulação. Será feita a pavimentação sentido à Igreja Católica, totalizando 650 metros, por meio de uma conquista nossa, em que será feita a implantação de calçada, tubulação, meio-fio e pedra irregular. O projeto já está quase pronto para licitação. Está prevista ainda a colocação de tubulação e meio-fio em trechos que ainda necessitam no distrito de Porto Mendes. Além disso, houve melhorias nos atracadouros da prainha. Por outro lado, conseguimos com o deputado federal Hermes Parcianello (Frangão) (MDB) R$ 1 milhão para beneficiar algumas linhas de Porto Mendes e uma de Bom Jardim.

 

OP: O senhor acha que diante dos investimentos realizados a tendência é alavancar o turismo de Porto Mendes?

DK: Com certeza. Ajeitando a casa a própria comunidade vai sentir motivação para fazer melhorias. Por exemplo, na avenida principal, com as obras que a prefeitura vai executar, acredito que os empresários também se sentirão motivados a investir no comércio para atrair os turistas.

 

OP: Um dos gargalos de Porto Mendes, até por ser um distrito turístico, é a falta de um bom sinal de telefonia móvel. O senhor mencionou que a Tim já instalou a nova antena. Há informações sobre a abrangência do sinal?

DK: A antena nova já está instalada e tem 60 metros de altura. Vai abranger de 12 a 15 quilômetros aos arredores. Para efeitos de comparação, a antena que tinha até então somava somente 15 metros de altura e tinha uma abrangência de apenas 400 a 500 metros dentro da vila. Nem na prainha o sinal chegava. Acreditamos que vai ser possível ter sinal na extensão do lago até Bom Jardim. Todos os agricultores de Porto Mendes certamente terão sinal de telefonia móvel e será 4G. Essa torre vem a beneficiar não somente a comunidade, mas toda a população que vai acampar ou vai no lago. Vai contribuir ainda com a questão de emergência na saúde e na segurança. Vai somar no todo e penso que é um dos principais investimentos.

 

O Presente

TOPO