Fale com a gente

Esportes

De Pato a Damião: bi da Recopa liga dois fenômenos do Inter

Publicado

em

EFE
inter

Guri saído da base, vindo ao Rio Grande do Sul para jogar pelo Inter, do tipo que desespera os zagueiros adversários, dá título da Recopa ao Colorado. É verdade em 2011 e foi verdade em 2007. O bicampeonato da disputa continental une dois fenômenos da história recente do time gaúcho. Leandro Damião segue, com números até mais expressivos, os passos de Alexandre Pato.

Há quatro anos, o título colorado foi sobre o Pachuca, do México. Pato foi o grande destaque. A exemplo do que aconteceu agora, o Inter perdeu o jogo de ida, fora de casa, por 2 a 1. Pato fez o gol em 2007. Damião marcou em 2011. A diferença foi na volta. Se o atual atacante do Milan foi decisivo nos 4 a 1 sobre os mexicanos, Damião foi destruidor agora. Ele marcou os dois primeiros gols da vitória de 3 a 1 sobre o Independiente. De resto, deu chapéu, fez embaixadas com a cabeça, quase marcou mais um gol. Acabou com o jogo.

“Com todas as qualidades que tem, o Damião é um dos maiores atacantes do mundo”,  derreteu-se Fernandão, ídolo colorado, diretor técnico do Inter.

A empolgação com Damião começa a superar o entusiasmo que o Inter teve com Pato. O atual atacante do Milan jogou bem menos com a camisa vermelha. Fez apenas 27 jogos, com 12 gols, antes de rumar para o Milan por 20 milhões de dólares. Por Damião, o número é o mesmo, mas a moeda é outra. A diretoria não quer papo por menos de 20 milhões de euros (R$ 46 milhões).

Leandro Damião comemora, Internacional x Independiente (Foto: EFE)Inter tem semana decisiva para tentar manter Leandro Damião no Beira-Rio (Foto: EFE)

“ Pude acompanhar alguns treinamentos do Pato quando ele surgiu. Ter um jogador iluminado assim, como também é o Damião, é bom a favor, nunca contra. Sabemos a batalha que ele teve para conquistar o que está conquistando hoje”, comentou o capitão do Inter, Bolívar.

Damião disputa, entre outros, com Alexandre Pato a camisa 9 da Seleção Brasileira. Os dois estão convocados por Mano Menezes para o amistoso contra Gana, em 5 de setembro. Foi a terceira vez em que o centroavante colorado foi chamado. Agora, ele espera se firmar.

“O Brasil tem muitos atacantes bons. Quero estar no meio, ajudar o Brasil. Nessa convocação, espero fazer o melhor nos treinamentos. Independentemente de quem estiver jogando, vou trabalhar. Quero dar continuidade na Seleção. O Brasil está bem servido de atacantes”, afirmou o jogador.

Semana decisiva

São dias decisivos para a manutenção de Leandro Damião. A janela de transferência dos principais mercados europeus fecha no final do mês – metade da semana que vem. A diretoria faz força para manter o goleador do Beira-Rio. A tendência é de que consiga.

“Se eu tiver que sair, será para uma grande equipe. Acima do Internacional, é difícil. Depende do meu empresário, do presidente. Eles sabem o que querem. Para atacante, é difícil querer ganhar dinheiro logo, ir para o Leste Europeu. Se eu tiver que sair, terá que ser para uma grande equipe. Estou feliz. Tenho contrato até 2016”, afirmou o jogador.

Facebook