Esportes Entrevista ao O Presente

“Montamos um time compacto e bem estruturado”, diz gestor do Marechal Futsal

Gestor do Marechal Futsal, Cristiano Bortolon: “Não fizemos loucura, como algumas equipes fazem ao querer investir muito, trazer jogadores caros e depois ficar devendo. Um dos pontos mais importantes que tentamos fazer é deixar as dívidas zeradas, sem adiar problemas para o futuro” (Foto: Gustavo da Cunha)

Com o objetivo de melhorar os resultados da satisfatória temporada 2021, o elenco do Marechal Futsal para a temporada 2022 foi anunciado nesta semana. Entre os 17 jogadores que iniciarão o ano vestindo as cores da equipe rondonense, dez renovaram contrato com o time e sete são “caras novas”.

Em conversa com o Jornal O Presente, o gestor do Marechal Futsal, Cristiano Bortolon, fez uma avaliação de 2021 e falou sobre o planejamento para mais uma temporada do grupo nas principais competições do futsal brasileiro. Confira.

Casa do Eletricista VERÃO 2022

 

Avaliação da temporada 2021

Nied 2022 – Padrão

“Iniciamos 2021 com muitos atletas jovens e esperançosos que eles dariam resultado, até porque a Copagril sempre teve grandes investimentos e assumimos a vaga na Liga Nacional com um orçamento baixo, por isso tivemos que encontrar atletas comprometidos com a causa. Claro que estudamos vários jogadores, mas é normal ‘errar’ em um ou dois nomes, mas tudo é questão de atletas que conseguem se adaptar à cidade, ao estilo do técnico e ao projeto. Em cima disso, acho que fomos muito felizes no ano passado. Ficamos em 10º lugar na Liga Nacional, à frente de equipes como Corinthians, Pato, Marreco, então isso mostrou que nossa equipe foi muito comprometida. Não fomos muito bem na Série Ouro, mas o Paranaense tem um nível muito alto, caíram quatro equipes e pelo menos conseguimos nos manter na Ouro. Na Liga Paraná perdemos a semifinal nos pênaltis para o time que ficou campeão (Operário), então considero outro resultado muito bom. Nos Jogos Abertos temos um compromisso com a prefeitura, representando o município e fizemos o dever de casa, conquistando o título de uma competição que também tinha boas equipes, mostrando a força do nosso conjunto. Além disso, teve o time sub-20, que mais uma vez bateu na trave, mas o time de Chopinzinho estava muito bem preparado, com muitos jogadores em seu último ano na categoria, enquanto nosso quarteto titular era 2002 e tem mais este ano de sub-20. Vencer é sempre bom, mas é nas derrotas que adquirimos mais experiência. Então, o balanço do ano passado foi muito bom. Temos que comemorar, porque esses dois últimos anos de pandemia não foram fáceis. Tivemos muitos problemas, como o fato de jogar sem público, ainda mais em Marechal, onde a torcida está sempre presente empurrando o time”.

CombateMax – Normal

 

Elenco para 2022

“O Marechal está sendo montado com os pés no chão, sem loucura, como algumas equipes fazem ao querer investir muito, trazer jogadores caros e depois ficar devendo. Um dos pontos mais importantes que tentamos fazer é deixar as dívidas zeradas, sem adiar problemas para o futuro.

Conseguimos renovar com 60% a 70% do elenco, e isso é importante, pois os atletas novos precisam de um tempo para se adaptarem ao sistema de jogo. Faz a diferença. Mantivemos os três goleiros, e no caso do Obina e do Eric são pratas da casa, joias de Marechal. Damos muito valor pra isso, dar oportunidade para os meninos daqui. Desde que começamos o projeto o objetivo era dar espaço aos atletas de Marechal Rondon e região jogarem em alto nível.

Os três fixos também já estavam aqui, o Biro, o Bruno e o Quixeré. Nas alas ficaram o Gui Falcão e o Vitor, que também fizeram uma boa temporada, e trouxemos o Murilo, jogador inteligente e que vem para somar. Ele é filho do técnico Miltinho, que foi um dos maiores técnicos do futsal brasileiro, e já jogou a Liga Nacional pelo Praia Clube (MG) e estava no Passo Fundo (RS), onde teve ótimas referências do técnico Juninho, que já dirigiu a Copagril.

O João Machado já jogou aqui no tempo do sub-20 da Jaclani Futuro, subiu para a Copagril, depois foi jogar em São José dos Pinhais e ano passado teve uma passagem pelo São Miguel. É um atleta ainda jovem, com muito potencial, e que retorna a Marechal. O técnico Roberto já o conhece e também vem para somar.

Na ala esquerda não conseguimos renovar com os que estavam aqui porque tiveram boas propostas. É preciso frisar que um time com atletas jovens e que se destacam, como o nosso, desperta interesse em times grandes do Brasil ou do exterior, que vêm com muito dinheiro e fica difícil querer competir, ainda mais se a proposta vier de fora, para receber em euro ou dólar. Sabemos que com o nosso projeto sempre será assim, com equipes vindo e tirando nossos atletas, mas temos que sempre ter a carta na manga de ter jogadores novos que possam aparecer no cenário, e essas são as situações do Caíque, atleta que já jogou a LNF pelo Praia Clube; e do Bicão, que jogou três anos no Dracena (SP), tem passagem pelo Tubarão e vem com uma certa experiência. É um cara muito forte fisicamente e que chuta muito bem. Outra promessa do futsal brasileiro que chega é o Neto Lira, que estava no Magnus (SP), onde se destacou muito, sendo uma indicação do técnico Vanildo Neto. Ele ainda é sub-20, mas com certeza fará parte do elenco adulto.

Na função de pivô, renovamos com o Djheslei e o Gilvan, jogadores jovens e de muita capacidade. As contratações ficaram por conta do Léo Ibaldi, que estava no Palmas e se destacou nos jogos contra o Marechal. O futsal paranaense é muito forte, então sempre analisamos os jogadores adversários. Ele já jogou também com o Gui Falcão e o Dickson em Uruguaiana. Por último, acertamos com o Luan, um pivô forte, com bom vigor físico, que vem para ser o cara que vai segurar a bola lá na frente. Ele já tem 27 anos e com uma boa experiência, tanto no futsal brasileiro como também do exterior”.

 

Supervisão em “conjunto”

“Uma das funções do supervisor é procurar por atletas e apresentar para nós. Durante o ano analisamos vários jogadores, e antes da saída do Márcio Werlang, um ótimo profissional que recebeu uma proposta muito boa da Unoesc (SC), já tínhamos feito algumas contrações. Depois disso eu, o Roberto, o Vanildo Neto e o presidente Alciney nos reunimos quase que diariamente para debater quais posições deveríamos buscar outros reforços”.

 

Planejamento

“Só vamos conseguir montar uma equipe cada vez mais forte e com maior investimento se os empresários abraçarem a causa. Temos que agradecer muito as empresas que estão conosco, mas acho que muitas outras poderiam agregar ainda mais, independente do valor. Estamos abertos a conversas, pois tudo gira em torno do Marechal Futsal, é nisso que temos que pensar. Nossa ideia é montar um time compacto, mas bem estruturado em todas as posições, e na metade do ano, com a volta do público e mais patrocinadores, trazer duas ‘cerejas do bolo’ para dar algo a mais para nós. Mas é claro que até lá algum atleta, especialmente os novos contratados, pode não se adaptar e sermos obrigados a fazer outras mudanças, como trocas de jogadores no meio da temporada. Fizemos sete contratações, o que não é um número muito alto. Em relação aos que renovaram a situação é mais tranquila, pois sabemos o que eles poderão entregar e eles sabem como funciona o projeto”.

 

Dobradinha Roberto Nunes e Vanildo Neto

“Não é fácil achar um técnico que abrace a causa, e nesse caso temos que ser um pouco bairristas. Em muitos lugares o ‘santo de casa não faz milagre’, mas nós pensamos diferente. O Roberto tem uma experiência muito grande na preparação física, passagens pelo Quedas, pelo Foz e começou com a gente lá atrás no sub-20, então sabe como tudo funciona nos bastidores em Marechal. Ele faz um trabalho muito sério e somos muito bem alinhados nesta questão disciplinar. Todos têm que fazer por merecer seu espaço. O Vanildo Neto veio para agregar muito. Nosso sonho era transformar nossas categorias de base, e com a ajuda do Gauchinho, que faz um ótimo trabalho na equipe sub-17 da Copagril, quatro ou cinco atletas vão subir para o sub-20. É nessa safra que pensamos lá na frente. Muitas vezes vi os técnicos tendo algum problema com jogadores devido a alguns atritos por trabalharem todos os dias, manhã e tarde, e a ideia que tive foi alternar o contato dos treinadores com os jogadores do time principal. Pela manhã o Roberto comanda os treinos mais fortes e as correções necessárias são feitas pelo Vanildo à tarde. Acho que isso foi muito importante, é uma novidade. Na minha análise, é difícil um treinador ter a visão total do jogo, tanto a defesa como o ataque, e é preciso pensar nisso. Os dois fazem uma ótima parceria, com cada um cuidando mais especificamente de alguns pontos, como sistema ofensivo e defensivo, goleiro-linha, bola parada. Ano passado fomos muito bem, por exemplo, em jogadas ensaiadas. Por isso eu falo, duas cabeças pensando são melhores que uma só. Vejo muita vaidade em vários lugares, mas aqui tivemos um ganho de causa muito bom em cima disso, pois nenhum deles tem isso. O Neto já ganhou muitos títulos nas categorias de base e queríamos ter isso em Marechal, e com todo o mérito agora ele também vem auxiliando o Marquinhos Xavier na Seleção”.

 

Ajuda para crescer

“Quero convidar a todos, tanto o torcedor para que vá ao ginásio, como os empresários que possam nos ajudar nessa caminhada. Sozinhos não conseguimos fazer nada. Já temos várias empresas que nos ajudam, mas ainda não é o suficiente, pois sempre queremos ter um time cada vez mais forte e com maior investimento. Todos podem ajudar, seja comprando a camisa do time e indo ao ginásio, adquirindo o plano de sócio-torcedor, como também sendo patrocinador do Marechal Futsal”.

 

Gestor do Marechal Futsal, Cristiano Bortolon: “Conseguimos renovar com 60% a 70% do elenco, e isso é importante, pois os atletas novos precisam de um tempo para se adaptarem ao sistema de jogo” (Foto: Gustavo da Cunha)

 

ELENCO

CLIQUE AQUI e confira o elenco do Marechal Futsal anunciado nesta semana para a temporada 2022.

 

O Presente

Clique aqui e participe do nosso grupo no WhatsApp

Grupo Costa Oeste 2021
TOPO