Esportes

Sempre entre os primeiros, Copagril ditou o ritmo de uma das Ligas mais fortes dos últimos anos

Danilo Camargo

Todo o tempo brigando no topo, não houve equipe mais regular que a de Marechal Cândido Rondon. Os paranaenses nunca estiveram abaixo dos seis melhores da LNF2016. Ficaram onze jogos sem perder na primeira fase e ganharam o direito de decidir em casa todas as decisões de playoffs.

Casa do Eletricista – RETOMA

Primeiro eliminou o rival de estado, o Guarapuava, nas oitavas de final, com duas vitórias. Em seguida teve de ir até os pênaltis para bater o Floripa, um time que recusava desacreditar da vitória e valorizou a classificação. Contra o Magnus, novo triunfo fora de casa, como também fizera contra os catarinenses. Porém, em sua segunda decisão por pênaltis, o time de Marechal caiu diante da torcida, que prestigiou toda a temporada.

Em sua oitava LNF, a Copagril esperava chegar a sua segunda final. Nesta trajetória, ficou com o terceiro lugar. Foi a segunda equipe com maior número de vitórias, 16, e conquistou 66,7% dos pontos disputados. Barbosinha e Deivd concorreram para a seleção do campeonato. O pivô também foi o terceiro artilheiro da Liga, com 16 gols, e o goleiro o artilheiro da posição, com três. Os dois, porém, estão de saída para 2017.

Eliminado nas Semifinais
Colocação 3º lugar
Vitórias 14
Gols pró  69
Artilheiro da equipe Barbosinha  16 gols 0,7 por partida

TOPO