Geral

Advogado de Eike diz que Porsche do empresário está sendo usado por juiz

Divulgação

 

A Corregedoria Regional da Justiça Federal da 2ª Região abriu processo nesta terça-feira para apurar o uso do Porsche de Eike Batista pelo juiz Flávio Roberto de Souza, titular da 3ª Vara Criminal da Justiça Federal. A determinação partiu do desembargador José Antonio Lisbôa Neiva, corregedor regional em exercício.

Advogado de Eike Batista afirma que o Porsche Cayenne do empresário está sendo usado pelo juiz Souza. Na manhã desta terça-feira, o magistrado chegou à Justiça Federal, no Centro do Rio, dirigindo o veículo. O carro foi apreendido junto a outros cinco na casa do criador do grupo X durante operação realizada pela Polícia Federal no início de janeiro. E não integra o lote de cinco carros do ex-bilionário que irão a leilão nesta quinta-feira.

Casa do Eletricista – Clorador Agosto

É um fato da maior gravidade. Um bem apreendido precisa estar em poder da Justiça Federal, não na casa do juiz responsável pela decisão disse Sérgio Bermudes, responsável pela defesa de Eike.

Imagens obtidas pelo GLOBO, de uma fonte ligada ao caso, mostram o juiz dirigindo o carro do empresário e entrando na garagem do prédio da Justiça Federal do Rio esta manhã. Ele conduziu o veículo de sua residência, na Barra, até o Centro da cidade.

O advogado de Eike entrou com recurso junto ao Tribunal Regional Federal (TRF) do Rio, pedindo a suspensão do leilão dos veículos e a devolução dos bens apreendidos. Além disso, aguarda votação pelo TRF quanto à permanência do juiz no caso do empresário. Em dezembro, a defesa de Eike solicitou a substituição do juiz Souza, alegando parcialidade na condução do processo que acusa o ex-bilionário dos crimes de manipulação de mercado e uso de informação privilegiada.

O magistrado vem se queixando de sofrer constantes intimidações no meio jurídico sobre os riscos que está enfrentando devido às decisões ligadas ao caso Eike, que incluem bloqueio de ativos financeiros e apreensão de bens. Recentemente, o juiz Flávio Roberto de Souza afirma que vem sendo seguido de perto em seus deslocamentos pela cidade.

Segundo a coluna “Radar”, de “Veja”, o juiz alegou não haver espaço para guardar todos os carros apreendidos pela PF no pátio da Justiça Federal. Com isso, o magistrado decidiu levar dois veículos o Porsche Cayenne e uma Toyota Hylux para a garagem coberta do prédio onde reside. Ainda de acordo com a coluna, o juiz teria enviado um ofício ao Detran comunicando a localização dos veículos, que não teriam sido usados desde a apreensão, sendo conduzidos para o prédio da Justiça hoje por causa do leilão de carros marcado para quinta-feira.

O Detran afirma não ser a esfera competente para cuidar do assunto, tendo atuação administrativa. Por se tratar de veículos apreendidos pela Polícia Federal deveriam estar resguardados e sob responsabilidade da Justiça Federal.

O GLOBO está tentando contato com o juiz. A assessoria de imprensa da PF também foi procurada, omas ainda não retornou respondeu.

TOPO