Ford Ranger e Ecosport Set/2020
Copagril – Compras no Site
Geral

Aterro sanitário é fiscalizado por profissionais do Crea-PR

Carina Ribeiro/OP
Profissionais do IAP e Crea-PR conferiram in loco a operacionalização do aterro sanitário do município: foco foi a conferência de execução de projeto e responsabilidade técnica

O município de Marechal Cândido Rondon foi escolhido pelo Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná (Crea-PR) para o início dos trabalhos de fiscalização de aterros sanitários que serão desenvolvidos em oito cidades do Estado.

A visita técnica aconteceu na tarde de ontem (29), ocasião em que estiveram presentes profissionais do Crea-PR, conselheiro suplente Marcondes da Silva, engenheiro Carlos Wild, a gerente regional do Instituto Ambiental do Paraná (IAP), Maria Glória Genari Pozzobon, que foram recepcionados pelo diretor geral do aterro local, técnico em Meio Ambiente Jaimer Tasso, dentre outros.

Casa do Eletricista – GENCO

De acordo com agente de fiscalização de Crea-PR, Bruno Takemura, no local foi realizado um check list para constar a impermeabilização das valas, se a área é cercada, tem controle de acesso e possui lagoa de chorume.

“Conferimos que a lagoa possui geomembrana impermeabilizante para proteger o solo e as águas subterrâneas e o meio ambiente como um todo”, detalha. Segundo ele, foi observado que os itens levantados estão sendo atendidos. “Também constatamos que existe drenagem de gases e não há presença de animais”, complementa Takemura em relação às condições.

O principal foco dos representantes do conselho, conforme ele, é verificar se o aterro possui profissional técnico responsável, com devida atribuição para fazer o monitoramento do uso do espaço. “Verificamos que Marechal Rondon tem como responsável técnico Jaimer Tasso, que inclusive possui registro no Crea-PR”, reforça, lembrando que também há licença ambiental.

Em seguida, os profissionais irão conferir a parte documental, o que inclui a análise do projeto para conferir a execução orientada por profissional habilitado. “É uma forma que o Crea-PR tem de reforçar junto à população a necessidade de contar com profissional para elaborar e executar os projetos, visando garantir segurança, saúde e proteção do meio ambiente”, finaliza Takemura.

TOPO