Geral

Empresa é a 1ª do Brasil a fabricar cerca elétrica solar

Depois de perceber que havia uma necessidade no mercado brasileiro, especialmente de produtores rurais, em ter acesso agrave; cerca el eacute;trica movida agrave; luz solar, j aacute; que os aparelhos existentes eram todos importados a um alto custo, os s oacute;cios-propriet aacute;rios da Monitor – empresa especializada na eletrifica ccedil; atilde;o de cercas -, Jo atilde;o Laufer e Luiz Borchert, de Quatro Pontes, decidiram fabricar um produto que viria a facilitar a vida do homem no campo.
Em fevereiro uacute;ltimo o eletrificador solar de cerca foi lan ccedil;ado no mercado e desde ent atilde;o a procura tem sido cada vez mais crescente. O aparelho tem como objetivo auxiliar no manejo do animal e tem uma grande praticidade na sua instala ccedil; atilde;o. Quanto maior a luminosidade solar e calor, mais energia eacute; produzida. Esse processo acontece a partir da capta ccedil; atilde;o de energia solar por meio de placas. Essa energia eacute; armazenada em uma bateria, que faz a convers atilde;o para 110 ou 220 volts, conforme o circuito.
A principal vantagem, al eacute;m de ser ambientalmente correto por aproveitar a energia solar, eacute; que os agricultores n atilde;o precisam puxar fios para eletrificar a cerca el eacute;trica de forma convencional, que gera um custo elevado. ldquo;A cerca el eacute;trica solar eacute; uacute;til especialmente para locais onde n atilde;o h aacute; energia el eacute;trica. Com a placa solar eacute; s oacute; fazer a cerca el eacute;trica e o custo x benef iacute;cio eacute; vantajoso, pois o valor eacute; mais baixo rdquo;, explicam, acrescentando: ldquo;Outra vantagem eacute; que a energia que eacute; produzida atrav eacute;s de bateria com a placa solar eacute; armazenada, enquanto que a energia el eacute;trica n atilde;o faz esse armazenamento rdquo;, informam. Isso significa que mesmo se houver um ldquo;apag atilde;o rdquo;, como o registrado recentemente no pa iacute;s, a cerca continuar aacute; eletrificada.

Processo de fabrica ccedil; atilde;o
O processo de fabrica ccedil; atilde;o ainda eacute; feito a maior parte de forma manual e quase artesanal. Cada aparelho leva em torno de dez dias para estar pronto. A placa solar eacute; importada j aacute; pronta. Os demais componentes usados tamb eacute;m s atilde;o importados, mas s atilde;o montados em Quatro Pontes at eacute; chegar ao resultado final. ldquo;Todo o processo de montagem tem que ser detalhado. O mais demorado eacute; para fazer os c aacute;lculos e projetar o aparelho, pois precisamos saber o consumo para que n atilde;o ocorra falta de energia rdquo;, menciona Luiz Borchert.

Casa do Eletricista – TORNEIRAS ELÉTRICAS

Funcionalidade
Se a bateria estiver bem carregada, a dura ccedil; atilde;o no inverno e em dias de chuva, quando a placa solar esfria, pode ser de quatro a sete dias. Como na regi atilde;o Oeste do Paran aacute; o inverno n atilde;o eacute; muito rigoroso, o aparelho pode ser tornar uma boa op ccedil; atilde;o para o agricultor. ldquo;No inverno a capacidade do aparelho diminui porque a intensidade do sol eacute; menor. Isto porque a funcionalidade eacute; proporcional agrave; quantidade de sol para carregar a bateria. Um dos itens interessantes eacute; que adotamos um sistema autom aacute;tico em que agrave; noite o aparelho entra no modo econ ocirc;mico. Em vez de 60 pulsadas por minuto, vai bater apenas entre 15 e 17. Isso vai diminuir o consumo e gera uma economia de at eacute; 50%, mas n atilde;o vai interferir na intensidade do choque. Ao amanhecer o aparelho volta a trabalhar no modo normal em que foi deixado rdquo;, detalha o quatropontense Luiz.

Estado comprador
Como o aparelho foi colocado agrave; venda h aacute; poucos meses, ainda h aacute; muito mercado a ser explorado. Atualmente, os principais Estados compradores do produto s atilde;o Minas Gerais, S atilde;o Paulo e na sequ ecirc;ncia Mato Grosso. ldquo;Estamos trabalhando para expandir as vendas ainda mais para outras regi otilde;es do Brasil. J aacute; estamos at eacute; exportando para o Paraguai rdquo;, comenta Jo atilde;o Laufer, segundo o qual para em breve a empresa j aacute; planeja mais novidades para lan ccedil;ar no mercado.

lt;galeria / gt;

TOPO