Ford Ranger e Ecosport Set/2020
Copagril – Compras no Site
Geral

Frio ficará mais intenso e Paraná terá 5 graus negativos

Abimael Valentim
Neve no município de Guarapuava, que começou por volta das 20h45 de ontem e a madrugada de hoje

O frio vai ficar mais intenso nesta quarta-feira (24). A previsão é de geada nesta madrugada para todas as regiões do Paraná, menos o Litoral. As informações são do Instituto Tecnológico Simepar (www.simepar.br), órgão do Governo do Estado. Hoje (23), Curitiba e várias outras cidades paranaenses registraram neve e chuva congelada.

Entre as principais cidades do Estado, a menor temperatura deverá ser registrada em Palmas, com mínima de 5º negativos e máxima de 10º. Em Ponta Grossa, a mínima será de 3º negativos e máxima de 12º. Em Curitiba, a previsão para esta quarta-feira é de mínima de 2º negativos, chegando a 11º no decorrer do dia.

Casa do Eletricista – GENCO

Em Cascavel, a mínima será de 1º negativo e a máxima de 13º. Foz do Iguaçu terá mínima de 0º e máxima de 15º. Em Londrina e Maringá, a previsão é que a temperatura varie de 1º a 15º. O Instituto Agronômico do Paraná (Iapar) e o Instituto Simepar informam há previsão de geada, na madrugada desta quarta-feira (24), em toda a zona cafeeira do Estado.

A recomendação aos produtores é fazer imediatamente o “chegamento” de terra no tronco dos cafeeiros com idade entre seis e 24 meses. Essa proteção deve ser mantida até meados de setembro e, depois, retirada com as mãos. Em lavouras recém-implantadas – até seis meses de campo –, deve-se enterrar as mudas com uma camada de terra e mantê-las assim até cessar o risco de geada.

Viveiros devem ser protegidos com cobertura (vegetal ou plástico) ou com uso de aquecimento. Mais informações sobre o “Alerta Geada” e técnicas de proteção de cafeeiros podem ser obtidas em www.iapar.br ou pelo telefone (43) 3391-4500. A queda de temperatura registrada em todo o Estado e as previsões para os próximos dias exigem que os usuários cuidem do hidrômetro.

O frio intenso e a geada podem congelar a água que está dentro dos tubos próximos ao medidor, também conhecido por ‘relógio’. Congelada, a água expande dentro da tubulação e pode provocar ruptura nos tubos ou do relógio. O rompimento da tubulação ou do hidrômetro traz transtornos para a Sanepar e para os clientes que ficarão desabastecidos até a troca do equipamento.

Para evitar o desconforto de possível falta de água, a Sanepar orienta que os clientes protejam os hidrômetros. Basta cobrir com uma caixa de papelão, pedaço de plástico, lona, ou com outro tipo de material que impeça o acúmulo de gelo em cima dos tubos e dos medidores. Fechar o registro de entrada de água, à noite, é outra medida eficaz contra possíveis danos, pois evita o acúmulo de água. É importante não esquecer de retirar a proteção assim que a temperatura subir, ou na data de leitura da conta.

A maior massa de ar frio dos últimos anos fez nevar em várias cidades do Paraná nesta terça-feira (23). De acordo com o Instituto Tecnológico Simepar (www.simepar.br), órgão do Governo do Estado, Curitiba registrou neve em bairros da região Sul, como o Portão. Há 38 anos não nevava em Curitiba. Também houve ocorrência de chuva gelada, uma condição muito próxima de neve.

Enquanto a neve é um floco branco, o pingo da chuva congelada é transparente e quica ao cair na superfície. O maior acúmulo de neve nesta terça-feira foi em cidades do Centro-Sul do Estado, como Guarapuava, onde a temperatura chegou a 0,5 grau. Na Região Metropolitana de Curitiba, nevou em Araucária, Lapa e Campo Largo.

A neve no Paraná foi causada por uma forte massa de ar frio que avançou com força pelo Estado. Além da forte intensidade, a maior dos últimos anos, o ar polar atuou no Paraná e Santa Catarina com um sistema frontal, responsável pelo aporte de umidade. O Paraná terá capacidade para prever com até três dias de antecedência os eventos meteorológicos e potenciais desastres naturais.

Atualmente, a antecedência é de um dia. O novo prazo, inédito no Brasil, foi anunciado pelo governador Beto Richa no Dia Mundial do Meio Ambiente, 5 de Junho, em Curitiba. O governador Beto Richa fez a entrega de equipamentos de ponta e anunciou investimentos de R$ 53 milhões para a modernização do sistema de monitoramento, prevenção e alerta de desastres naturais no Paraná.

“Este investimento significa levar mais segurança para a população, sobretudo para as pessoas que ainda vivem em áreas frágeis”, afirmou Beto Richa. O governador ressaltou que os novos equipamentos asseguram a possibilidade de reconhecer eventos climáticos fortes e extremos, como chuva, vento, granizo e tempestades elétricas.

Com isso, haverá mais condições para evitar ou reduzir as consequências de desastres como deslizamentos, enchentes, tempestades de raios e também dos desastres de causas antrópicas como, por exemplo, as contaminações ocasionadas por produtos químicos perigosos.

TOPO