Geral

Índios reivindicam assistência de órgãos públicos

Aconteceu ontem (1 ordm;), no audit oacute;rio do Centro Administrativo Municipal de Gua iacute;ra (CAM), uma reuni atilde;o envolvendo as tribos ind iacute;genas que habitam o munic iacute;pio e representantes da Funda ccedil; atilde;o Nacional do Iacute;ndio (Funai), Funda ccedil; atilde;o Nacional de Sa uacute;de (Funasa), Minist eacute;rio P uacute;blico Federal, oacute;rg atilde;os do governo estadual e prefeitura. A reuni atilde;o serviu para discutir as necessidades das comunidades ind iacute;genas e quais medidas que ser atilde;o adotadas por parte de cada oacute;rg atilde;o para atender essas necessidades.
O encontro foi motivado depois que cerca de 250 iacute;ndios tomaram, no dia 21 de junho, o acesso ao posto fiscal da Receita Federal e agrave; Ponte Ayrton Senna, impedindo a travessia para o Paraguai atrav eacute;s de balsa e para o Mato Grosso do Sul pela ponte. Na ocasi atilde;o, os iacute;ndios reclamavam da falta de assist ecirc;ncia por parte da prefeitura, da Funasa e da Funai, que haviam se comprometido a ajudar os iacute;ndios e melhorar as condi ccedil; otilde;es de vida da popula ccedil; atilde;o local. Os iacute;ndios acabaram com o protesto ap oacute;s a confirma ccedil; atilde;o de que uma reuni atilde;o seria marcada para tentar solucionar os impasses.

Reivindica ccedil; otilde;es
Os ind iacute;genas reivindicaram agrave;s autoridades saneamento b aacute;sico, energia el eacute;trica, melhores condi ccedil; otilde;es de moradia, educa ccedil; atilde;o, obras de infraestrutura, oportunidade de trabalho, inclus atilde;o social e regulariza ccedil; atilde;o fundi aacute;ria.
O procurador da Rep uacute;blica, Robson Martins, ouviu atentamente e anotou os pedidos, marcando uma nova reuni atilde;o para o dia 29 de julho, data em que os oacute;rg atilde;os p uacute;blicos envolvidos pretendem apresentar uma solu ccedil; atilde;o para pelo menos alguns dos problemas apresentados pelos iacute;ndios. Algumas das reivindica ccedil; otilde;es, observou Martins, levar atilde;o mais tempo, j aacute; que pelo menos quatro das cinco aldeias ind iacute;genas que participaram da reuni atilde;o disputam na Justi ccedil;a a posse das aacute;reas em que est atilde;o instaladas, fato que vem inviabilizando investimentos p uacute;blicos nas aldeias.

Casa do Eletricista – TORNEIRAS ELÉTRICAS

lt;galeria / gt;

TOPO