Geral

Mão-de-obra qualificada ainda é uma carência

Apartir de uma iniciativa da Associa ccedil; atilde;o Comercial, Industrial e Agropecu aacute;ria de Marechal C acirc;ndido Rondon (Acimacar), por meio da Vice-presid ecirc;ncia para Assuntos da Ind uacute;stria, e Coordenaria Regional da Federa ccedil; atilde;o das Ind uacute;strias do Estado do Paran aacute; (Fiep), foi realizada uma pesquisa para identificar quais as maiores car ecirc;ncias dos industriais da microrregi atilde;o.
Como o setor eacute; dividido em diversos segmentos, cada um tem a sua necessidade. No entanto, o que se percebeu eacute; que as duas maiores demandas s atilde;o por m atilde;o-de-obra que seja qualificada e por empresa que preste servi ccedil;o de assist ecirc;ncia em automa ccedil; atilde;o industrial. A informa ccedil; atilde;o eacute; da vice-presidente da Ind uacute;stria da Acimacar e coordenadora regional da Fiep, Marlise Ricardi.
De acordo com a empres aacute;ria, se uma empresa especializada em automa ccedil; atilde;o industrial se instalasse na regi atilde;o, certamente teria muito trabalho dispon iacute;vel, j aacute; que existe uma grande demanda. ldquo;A pesquisa tamb eacute;m revelou demanda por uma empresa de isolamento t eacute;rmico e beneficiamento de fibras de vidro, que eacute; um material que est aacute; sendo bastante usado e ainda n atilde;o temos fornecedores na regi atilde;o rdquo;, afirma.
O resultado da pesquisa, por eacute;m, j aacute; era de certa forma esperado. Isto porque os empres aacute;rios apontaram que a maior necessidade eacute; por m atilde;o-de-obra qualificada. ldquo;Isso eacute; un acirc;nime em todos os setores e quase todas as empresas apontam para isso rdquo;, comenta a rondonense, que acrescenta: ldquo;Quando questionamos na pesquisa quais as principais dificuldades, os industriais responderam que m atilde;o-de-obra e servi ccedil;os qualificados rdquo;, emenda.

Qualifica ccedil; atilde;o
Conforme Marlise, o resultado do question aacute;rio demonstra que cada vez mais o candidato a uma vaga de trabalho precisa estar qualificado. ldquo;N atilde;o adianta querer ser contratado para da iacute; se qualificar. O candidato precisa definir qual o setor em que quer atuar, buscar todos os subs iacute;dios para conhecer o setor, como cursos, palestras e capacita ccedil; otilde;es. Para isso temos o Senai e o Sesi rdquo;, explica.
A empres aacute;ria diz que o Senai disponibiliza cursos espec iacute;ficos para as mais diversas aacute;reas. ldquo;Nem sempre estes cursos est atilde;o sendo realizados em Rondon, mas n atilde;o custa o candidato a uma vaga no mercado de trabalho investir para ir at eacute; Toledo ou Cascavel estudar, porque com isso ter aacute; emprego garantido e, mais do que isso, uma remunera ccedil; atilde;o melhor e mais adequada agrave; qualifica ccedil; atilde;o rdquo;, declara.

Casa do Eletricista – TORNEIRAS ELÉTRICAS

Cursos
Segundo a coordenadora regional da Fiep, o resultado da pesquisa j aacute; foi encaminhado para o Senai, que est aacute; elaborando uma agenda de cursos e treinamentos especificamente para atender as necessidades, sendo que as capacita ccedil; otilde;es j aacute; est atilde;o sendo providenciadas. ldquo;Os demais assuntos que n atilde;o s atilde;o voltados agrave; m atilde;o-de-obra tamb eacute;m est atilde;o sendo dirigidos para atender e suprir essa car ecirc;ncia que os industriais t ecirc;m rdquo;, salienta. ldquo;Dentro da Acimacar temos o Departamento Consultivo da Ind uacute;stria e tamb eacute;m a Coordenadoria Regional da Fiep, que s atilde;o dois oacute;rg atilde;os que existem para ouvir as necessidades dos industriais para da iacute; buscar os devidos tratamentos para resolver estas quest otilde;es rdquo;, afirma.

ldquo;Troca-troca rdquo;
Ainda de acordo com a dirigente industrial, outra preocupa ccedil; atilde;o do setor eacute; que se tornou comum o trabalhador, depois de passar por todo o processo de qualifica ccedil; atilde;o, trocar de emprego. ldquo;As empresas lamentam isso, mas o profissional n atilde;o est aacute; valorizando o pr oacute;prio curr iacute;culo e isso n atilde;o eacute; interessante. Eacute; importante o colaborador valorizar a empresa que deu a oportunidade de trabalho e que est aacute; investindo em treinamentos para que possam crescer juntos rdquo;, conclui.

Alta demanda
Na Unidade de Aves da Copagril trabalham, atualmente, cerca de 1,8 mil colaboradores. Trata-se de uma grande ind uacute;stria, mas os problemas s atilde;o os mesmos que as demais: falta m atilde;o-de-obra no mercado. A maior dificuldade, segundo o gerente Adolir Weber (Kinha), eacute; conseguir algu eacute;m com experi ecirc;ncia. At eacute; porque quem eacute; qualificado, na maior parte das vezes, j aacute; est aacute; empregado. ldquo;No mercado eacute; dif iacute;cil encontrar algu eacute;m dispon iacute;vel rdquo;, relata.
Por isso, n atilde;o h aacute; outra alternativa do que contratar colaboradores sem experi ecirc;ncia e qualific aacute;-los. Para tanto, a Copagril promove treinamentos internos e incentiva a participa ccedil; atilde;o em cursos realizados pela Acimacar. ldquo;O ruim eacute; que depois que o colaborador est aacute; capacitado ele troca de emprego rdquo;, lamenta.
A Unidade de Aves tem condi ccedil; otilde;es de oferecer mais 200 vagas no frigor iacute;fico, mas a dificuldade em preencher eacute; constante. Cada vez mais buscam-se colaboradores em cidades mais distantes, inclusive no Mato Grosso do Sul. ldquo;Ficar desempregado s oacute; para quem quer rdquo;, comenta Kinha.

Pato Bragado
Mas, engana-se quem pensa que este problema eacute; exclusivo de Marechal C acirc;ndido Rondon. A falta de m atilde;o-de-obra eacute; geral. O presidente da Associa ccedil; atilde;o Comercial de Pato Bragado (Acibra) e s oacute;cio-propriet aacute;rio da Cer acirc;mica S atilde;o Luiz, Reinaldo Scherer, diz que no setor ceramista n atilde;o est aacute; faltando m atilde;o-de-obra. No entanto, como dirigente de entidade que re uacute;ne a classe empresarial, esta tem sido uma das ldquo;queixas rdquo; dos industriais.
Ele menciona que os setores que mais t ecirc;m dificuldades em encontrar m atilde;o-de-obra s atilde;o confec ccedil; otilde;es, aliment iacute;cio, eletromec acirc;nica e f aacute;brica de cal ccedil;ados. ldquo;Os industriais t ecirc;m relatado a dificuldade em conseguir qualifica ccedil; atilde;o de m atilde;o-de-obra. Para isso, a Associa ccedil; atilde;o est aacute; buscando parceria com o Senai para a promo ccedil; atilde;o de cursos espec iacute;ficos para as aacute;reas deficit aacute;rias rdquo;, informa.

lt;galeria / gt;

TOPO