Copagril – Compras no Site
Geral

MP denuncia 13 pessoas por desvio de dinheiro público

O Minist eacute;rio P uacute;blico do Paran aacute; (MP-PR) denunciou 13 pessoas ontem (18) por causa do esquema de contrata ccedil; atilde;o de funcion aacute;rios fantasmas e desvio de dinheiro p uacute;blico na Assembleia Legislativa do Paran aacute;. A den uacute;ncia foi assinada pelos promotores do Grupo de Atua ccedil; atilde;o Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco).
A nova den uacute;ncia diz respeito ao esquema de contrata ccedil; atilde;o de parentes do corretor de im oacute;veis Daor Afonso Marins de Oliveira, que eacute; funcion aacute;rio comissionado da Casa de Leis. Al eacute;m disso, o corretor e os filhos pagariam para terceiros cederem os nomes para nomea ccedil; otilde;es irregulares, de acordo com o MP.
Essas pessoas ganhavam entre
R$ 600 a R$ 800 mensais por m ecirc;s para participar do esquema, e receberiam at eacute; R$ 30 mil na folha de pagamento da Assembleia Legislativa. Segundo a den uacute;ncia, o Gaeco encontrou 18 situa ccedil; otilde;es em que foram cometidos os crimes de forma ccedil; atilde;o de quadrilha, peculato (desvio de dinheiro p uacute;blico), falsidade ideol oacute;gica e lavagem de dinheiro.
De acordo com a den uacute;ncia do Gaeco, algumas pessoas receberam dinheiro diretamente de Abib Miguel, que era diretor-geral da Assembleia. O oacute;rg atilde;o afirmou que algumas pessoas sabiam que os nomes eram utilizados no esquema e que outras descobriram posteriormente, mas aceitaram participar da fraude. Apenas uma pessoa desconhecia a situa ccedil; atilde;o e n atilde;o foi inclu iacute;da na den uacute;ncia.
Segundo o Minist eacute;rio P uacute;blico, dois familiares de Daor – um sobrinho e uma irm atilde; – chegaram a ser contratados pela Assembleia com nomes diferentes e recebiam v aacute;rios sal aacute;rios.
As pessoas denunciadas ontem foram Abib Miguel, Jos eacute; Ary Nassiff, Cl aacute;udio Marques da Silva, Daor Afonso Marins de Oliveira, Marlon Christian Luccas de Oliveira (filho de Daor), Maureen Louise de Oliveira (filha de Daor), Roseli do Rocio Luccas de Oliveira (esposa de Daor), Clori Maria de Oliveira, Luiz Alonso Luccas de Oliveira, Eduardo Jos eacute; Gbur, Pierre Jos eacute; Gbur, Alessandro Gbur e Glaucilene de Souza Gbur.
Desses, Abib Miguel (ex-diretor-geral), Jos eacute; Ary Nassiff (ex-diretor de Administra ccedil; atilde;o) e Cl aacute;udio Marques da Silva (ex-diretor de Pessoal) j aacute; tinham sido denunciados pelo MP em 04 de maio por desvio de dinheiro p uacute;blico, forma ccedil; atilde;o de quadrilha, lavagem de dinheiro e falsidade ideol oacute;gica. O funcion aacute;rio Jo atilde;o Leal de Mattos tamb eacute;m foi denunciado em 04 de maio pelos referidos crimes.
Na primeira den uacute;ncia do MP-PR, Abib Miguel e Jo atilde;o Leal de Mattos foram denunciados por cometerem 1.182 vezes o crime de peculato (desvio de dinheiro p uacute;blico). Com rela ccedil; atilde;o a den uacute;ncia desta ter ccedil;a-feira (18), Abib Miguel e Daor Afonso Marins de Oliveira foram denunciados 894 vezes pelo crime de peculato.
Daor Afonso Marins de Oliveira teve a pris atilde;o preventiva decretada na segunda-feira (17) e continuava foragido ontem.

R$ 26 milh otilde;es
O Gaeco j aacute; comprovou que o esquema de corrup ccedil; atilde;o montado dentro da Assembleia Legislativa desviou pelo menos R$ 26 milh otilde;es dos cofres p uacute;blicos. Esse valor equivale aos dep oacute;sitos feitos pela Casa de Leis na conta banc aacute;ria de 17 funcion aacute;rios fantasmas. Oito parentes do funcion aacute;rio Jo atilde;o Leal de Mattos e nove do corretor de im oacute;veis Daor Afonso Marins de Oliveira.

Casa do Eletricista – NÃO PAGUE AR
TOPO