Brincando na Praça 2019
Geral

Ocepar indica queda na renda do agricultor

Arquivo/OP Rural

Analista da Getec, Gilson Martins: Os preços pagos aos agricultores atualmente estão mais baixos em comparação a anos anteriores

A Gerência Técnica e Econômica da Ocepar (Getec) divulgou um novo levantamento com estimativas sobre os custos de produção da safra 2015/2016 para soja, milho e trigo no Estado do Paraná, tomando como base os dados de preços pagos e recebidos em maio de 2015, fornecidos pelo Departamento de Economia Rural da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento (Seab/Deral).

Os custos operacionais chegaram ao patamar de R$ 41,93 por saca de trigo, R$ 38,51 na soja, R$ 22,27 no milho e R$ 21,66 no milho safrinha. Em relação ao mesmo período do ano passado, esses valores representam aumento de 10,7% (milho), 10,4% (milho safrinha), 11,3% (soja) e 5,7% (trigo). Em contrapartida, os preços recebidos pelo produtor, contabilizados em reais por hectare, reduziram 8,9% (milho), 8,9% (milho safrinha), 8% (soja) e 17,4% (trigo). Isso significa que houve uma depreciação na renda do agricultor em 23% (milho), 21,52% (milho safrinha), 24,2% (soja) e 13,4% (trigo).

Casa do Eletricista ESCAVAÇÕES

Entre os itens que mais impactaram neste resultado estão os combustíveis, que sofreram aumento médio de 12% e fertilizantes de 16%. No caso dos combustíveis, os preços são controlados e suscetíveis a reajustes frequentes. Já em relação a insumos como fertilizantes e herbicidas, houve grande influência do câmbio, que oscilou de R$ 2,25, em junho de 2014, para R$ 3,10, em junho deste ano. Essa alta do câmbio tem efeito duplo. Por um lado, contribui para elevar os custos de produção. Ao mesmo tempo, propicia um rendimento melhor ao produtor no momento de comercializar sua safra, evitando uma redução ainda maior em seu rendimento. Isso porque os preços pagos aos agricultores atualmente estão mais baixos em comparação a anos anteriores também por influência do nível de oferta e demanda internacional. Os estoques mundiais de grãos foram repostos, promovendo ajustes no valor das commodities, explica o analista da Getec, Gilson Martins.

TOPO