Brincando na Praça 2019
Geral

PDT e PT devem “bater martelo” nesta semana

Pedetistas e petistas devem anunciar nesta semana a forma ccedil; atilde;o de uma alian ccedil;a em torno da candidatura do senador Osmar Dias (PDT) para disputar o Governo do Paran aacute; nas elei ccedil; otilde;es de outubro. Para que o acordo seja sacramentado, os correligion aacute;rios do senador cobram do PT a ades atilde;o das demais legendas da base aliada do presidente Lula (PT).
Depois de rodada de negocia ccedil; atilde;o na uacute;ltima semana no Distrito Federal, Lula ficou incumbido de buscar os apoios do PMDB e do PP e Osmar Dias se encarregaria de negociar com o PPS e com o DEM.
A tend ecirc;ncia era de que caciques dos dois partidos se reunissem ontem (05), em Bras iacute;lia, para avaliar os avan ccedil;os e definir os uacute;ltimos detalhes do acordo.
Se de um lado os petistas garantem que o entendimento est aacute; praticamente fechado, de outro os pedetistas n atilde;o se mostram t atilde;o animados. ldquo;Acredito que o acordo saia sim. S oacute; estamos tentando uma amarra ccedil; atilde;o final. A reuni atilde;o da semana passada foi muito produtiva rdquo;, afirma o presidente do PT do Paran aacute;, deputado Ecirc;nio Verri.
J aacute; o l iacute;der do PDT na Assembleia, deputado Luiz Carlos Martins, eacute; bem mais cauteloso. ldquo;N atilde;o tem nada definido ainda. Eacute; preciso que a alian ccedil;a seja com todos os partidos da base do governo federal petista rdquo;, explica.

Miss atilde;o aacute;rdua
A miss atilde;o do presidente Lula eacute; mais aacute;rdua, uma vez que ter aacute; que convencer os peemedebistas a abrirem m atilde;o da candidatura pr oacute;pria encabe ccedil;ada pelo vice-governador Orlando Pessuti. Especula-se que para persuadir Pessuti, o presidente lhe ofereceria ldquo;caneta cheia rdquo; – recursos federais em abund acirc;ncia – para fazer um mandato de nove meses inesquec iacute;vel.
Verri reconhece a dificuldade da miss atilde;o, mas informa que o PMDB poderia indicar o candidato a vice de Osmar em uma poss iacute;vel composi ccedil; atilde;o. ldquo;Vejo alguma dificuldade no Pessuti abrir m atilde;o da candidatura para indicar um vice. Mas vamos conversar rdquo;.
O PDT n atilde;o esconde a prefer ecirc;ncia pelo nome de Gleisi Hoffmann (PT) para ser a vice de Osmar Dias. Mas os petistas se mostram irredut iacute;veis da ideia de lan ccedil; aacute;-la candidata ao Senado.
Na hip oacute;tese da participa ccedil; atilde;o do PMDB no grupo, a outra vaga de candidato ao Senado ficaria reservada para o ex-governador Roberto Requi atilde;o, o que poderia emperrar um acordo com o PP, j aacute; que o presidente estadual da legenda, deputado Ricardo Barros, tamb eacute;m eacute; pr eacute;-candidato ao Senado.
Mas, segundo Verri, as tratativas com o PP tamb eacute;m s atilde;o vi aacute;veis. ldquo;Conversei com o Barros e ele n atilde;o descarta a possibilidade de participar da alian ccedil;a. Ele est aacute; esperando uma defini ccedil; atilde;o das demais composi ccedil; otilde;es rdquo;, explica.
A desincompatibiliza ccedil; atilde;o do pr eacute;-candidato do PSDB ao Pal aacute;cio das Arauc aacute;rias, ex-prefeito de Curitiba, Beto Richa tamb eacute;m aumenta a press atilde;o sobre petistas e pedetistas. Desde a ren uacute;ncia na uacute;ltima ter ccedil;a-feira (30), o tucano iniciou uma corrida pelo interior em busca de votos e apoio.

Casa do Eletricista ESCAVAÇÕES
TOPO