Ford Ranger e Ecosport Set/2020
Copagril – Compras no Site
Geral

Preço do quilo do pinhão dispara de R$ 9 para R$ 16

O Presente
O consumo aumentou e quase não há mais estoque de pinhão nos
supermercados. Além disso, o preço está nas alturas

As festas juninas passaram e, ao que parece, o pinhão acabou. Alguns fatores fizeram com que o produto faltasse no setor de hortifrutigranjeiros dos supermercados. Um deles, o alto preço, haja vista que o pinhão teve alta de cerca de 200% nos últimos dois meses. Ontem (22), o quilo do produto, que há 40 dias era vendido em Marechal Cândido Rondon em média por R$ 9, custava cerca de R$ 16.

No Supermercado Rimmava faz duas semanas que o produto está em falta. Um fator é que a produção teria diminuído e o outro é que o consumo aumentou. De acordo com o responsável pelo setor de hortifrutigranjeiros do supermercado, Cláudio Pinati, para ser viável à empresa é preciso vender o quilo do produto por R$ 18. E não se engane. A situação é a mesma em todo Estado do Paraná.

Casa do Eletricista – GENCO

Conforme explica o gerente comercial do Supermercado Allmayer, Eduardo Berndt, alguns anos atrás o pinhão era vendido ao consumidor por menos de R$ 3 o quilo, ao passo em que agora o custo do cliente para cada quilo do produto é de R$ 15,98. Segundo ele, além do produto exposto na prateleira do supermercado, há apenas 50 quilos no estoque, o que acaba em um piscar de olhos.

O pinhão é adquirido dos Estados do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina, porém alguns fornecedores estão sem o produto. É muita árvore – Araucária – sendo cortada e a semente não é vendida aos supermercados do Paraná. Para completar, em outros casos alguns fornecedores também estão sem o produto. Para Berndt, foi o alto custo do produto que definiu o baixo consumo.

TOPO