Pref. Pato Bragado Natal em Canto 2019
Geral

Programa Cidadão Consciente está parado em Toledo

A ideia de remunerar as pessoas que denunciam o narcotr aacute;fico n atilde;o tem funcionado com muita efici ecirc;ncia na regi atilde;o Oeste. Em Cascavel, o programa Informante Cidad atilde;o acabou descontinuado pela Pol iacute;cia Federal, com alega ccedil; atilde;o de problemas log iacute;sticos e estruturais por parte do oacute;rg atilde;o. Em Toledo a proposta similar, atrav eacute;s do programa Cidad atilde;o Consciente, tamb eacute;m n atilde;o vingou, ao menos por enquanto.
A lei municipal n ordm; 121/2009 entrou em vigor em agosto de 2009 e at eacute; agora n atilde;o foi colocada em pr aacute;tica. O problema, de acordo com o secret aacute;rio municipal de Seguran ccedil;a e Tr acirc;nsito, Jo atilde;o Cresp atilde;o, eacute; criar um mecanismo para preservar a integridade e a identidade do denunciante. ldquo;O programa de den uacute;ncia 181 continua funcionando normalmente atrav eacute;s da Pol iacute;cia Militar (PM), mas o nosso programa municipal, que visa o pagamento de R$ 400 para cada den uacute;ncia que acabe em pris atilde;o de envolvidos com o tr aacute;fico de drogas, n atilde;o est aacute; vigorando. O que n atilde;o conseguimos foi desenvolver um sistema de pagamento que mantenha em sigilo a identidade da pessoa que est aacute; fazendo a den uacute;ncia rdquo;, explica.
Para Cresp atilde;o, o fato do recurso financeiro para o funcionamento do programa ser oriundo do munic iacute;pio tamb eacute;m cria problemas legais para sua execu ccedil; atilde;o. ldquo;Ter iacute;amos que adotar um sistema informatizado com senha funcional mas n atilde;o conseguimos chegar em um ponto sem que o sigilo fosse quebrado. Mesmo que fosse o presidente do Conselho de Seguran ccedil;a efetuando o pagamento, seria uma pessoa a mais envolvida com o processo e as identidades, considerando a seriedade do procedimento, devem ser necessariamente preservadas rdquo;, alerta.
Prestes a completar um ano, a nova lei continua parada at eacute; que uma nova a ccedil; atilde;o conjunta entre Conselho Municipal Antidrogas, Conselho Comunit aacute;rio de Seguran ccedil;a, Pol iacute;cia Militar, Civil e Federal seja tomada.
As den uacute;ncias, mesmo sem remunera ccedil; atilde;o, continuam acontecendo. Desde 2009, v aacute;rias pris otilde;es foram efetuadas ap oacute;s den uacute;ncias de tr aacute;fico de drogas atrav eacute;s do Disque-den uacute;ncia 181 da Pol iacute;cia Militar (PM).

SEMPRE CONSCIENTE
Para a presidente do Conselho Municipal Antidrogas, Ta iacute;s Maciel, a redu ccedil; atilde;o dos pontos de tr aacute;fico e usu aacute;rios de droga ir aacute; acontecer a partir do momento que forem melhoradas as pol iacute;ticas de preven ccedil; atilde;o ao uso de entorpecente. ldquo;Estamos colhendo frutos do descaso nas rela ccedil; otilde;es sociais e familiares ocorrido nas uacute;ltimas d eacute;cadas. Este programa eacute; um sistema que paga para o cidad atilde;o exercitar sua cidadania, coisa que deveria ser feita de forma gratuita. O que precisamos trabalhar eacute; a quest atilde;o da recupera ccedil; atilde;o da responsabilidade social das pessoas, para que as coisas il iacute;citas e ruins sejam denunciadas sem incentivos financeiros rdquo;, alerta.

Casa do eletricista TRATAM. E ACESS.
TOPO