Ecoville – Maior rede de limpeza
Geral

PSDB e PDT retomam negociações sobre aliança

Presidente do PPS, Rubens Bueno: Osmar com o PT e PSDB com PMDB é contradição. Foto: Arquivo/OP

Dirigentes do PSDB do prefeito de Curitiba, Beto Richa, e do PDT do senador Osmar Dias retomaram na segunda-feira (30) as conversas sobre uma alian ccedil;a para a disputa pelo Governo do Estado em 2010. Estimulados pelo presidente estadual do PPS, Rubens Bueno, os presidentes do PSDB, deputado estadual Valdir Rossoni, e do PDT, deputado Augustinho Zucchi, se reuniram em Curitiba, na tentativa de reavivar as negocia ccedil; otilde;es que ultimamente andavam ldquo;congeladas rdquo; diante da aproxima ccedil; atilde;o de Richa com o PMDB do governador Roberto Requi atilde;o, e de Osmar com o PT do presidente Lula.
N atilde;o por acaso, o encontro, descrito pelos participantes como ldquo;informal rdquo;, aconteceu na sede do diret oacute;rio estadual do PPS de Bueno, que n atilde;o v ecirc; com bons olhos o risco de rompimento da alian ccedil;a que apoiou Osmar na elei ccedil; atilde;o para o governo de 2006, e Beto Richa na campanha pela reelei ccedil; atilde;o do tucano agrave; Prefeitura de Curitiba no ano passado. Nas uacute;ltimas semanas, as conversas entre esses partidos vinham esfriando, diante do ass eacute;dio do PT ao senador e pr eacute;-candidato ao governo do PDT. E tamb eacute;m pelo ldquo;namoro rdquo; cada vez mais expl iacute;cito entre Richa e os peemedebistas.
Osmar e o prefeito estiveram juntos nas uacute;ltimas duas elei ccedil; otilde;es, encabe ccedil;ando alian ccedil;as que inclu iacute;am al eacute;m de seus partidos e do PPS, o Democratas, PP, PSB e outras legendas que fazem oposi ccedil; atilde;o ao governo Requi atilde;o. Desde que o PSDB passou a manifestar o interesse de lan ccedil;ar Richa como candidato pr oacute;prio ao governo, por eacute;m, a rela ccedil; atilde;o entre os dois se desgastou. O senador passou ent atilde;o a se aproximar do PT, que busca um palanque forte no Estado para a presid ecirc;nci aacute;vel do partido, Dilma Rousseff. J aacute; os tucanos passaram a ser assediados pelo PMDB de Requi atilde;o.
A reuni atilde;o de segunda-feira entre os dirigentes do PSDB, PDT e PPS teria o objetivo de retomar a negocia ccedil; atilde;o pela manuten ccedil; atilde;o de uma alian ccedil;a de oposi ccedil; atilde;o no Estado. At eacute; porque no PPS h aacute; uma resist ecirc;ncia aberta em participar de uma coliga ccedil; atilde;o que inclua o PT com Osmar de um lado, ou com o PMDB, tendo Richa de candidato ao governo. ldquo;Foi uma retomada no sentido de buscar aquilo que o PPS vem defendendo, que eacute; a unidade da nossa alian ccedil;a rdquo;, explicou Rubens Bueno.
Segundo o dirigente, o rompimento da alian ccedil;a e a aproxima ccedil; atilde;o de Osmar com o PT e de Richa com o PMDB colocaria em risco um projeto que j aacute; vem de duas elei ccedil; otilde;es passadas, ao comprometer a coer ecirc;ncia dessas coliga ccedil; otilde;es. ldquo;Sabemos que tanto o Osmar com o PT, quanto o PSDB com o PMDB eacute; muita contradi ccedil; atilde;o rdquo;, considera.

Impasse
O problema para a manuten ccedil; atilde;o da alian ccedil;a eacute; que um dos dois candidatos teria que abrir m atilde;o de disputar o governo. Rossoni admite essa dificuldade, mas alega que h aacute; espa ccedil;o para negocia ccedil; atilde;o. ldquo;Temos espa ccedil;o para um candidato ao governo, um a vice-governador e dois a senador rdquo;, lembrou, negando, por eacute;m, que na conversa de tenha se falado em desist ecirc;ncia de um ou de outro. A mesma posi ccedil; atilde;o tem Zucchi, segundo o qual as especula ccedil; otilde;es sobre o afastamento de Osmar e Richa denotam o temor dos advers aacute;rios de que os dois estejam unidos na disputa do ano que vem. ldquo;Tem gente com medo dessa alian ccedil;a como o diabo da cruz rdquo;, garante Zucchi.

Casa do eletricista TRATAM. E ACESS.
TOPO