Uningá Vestibular 2020
Geral

Revisão do Plano Diretor é discutida com a comunidade

A Prefeitura de Gua iacute;ra realizou na ter ccedil;a-feira (22) audi ecirc;ncia p uacute;blica para revis atilde;o do Plano Diretor, um planejamento da pol iacute;tica urbana do munic iacute;pio. O encontro aconteceu no Centro de M uacute;ltiplo Uso e reuniu profissionais liberais, arquitetos, engenheiros, empres aacute;rios, servidores p uacute;blicos e agentes pol iacute;ticos do munic iacute;pio.
As diretrizes que coordenam como e para onde a cidade vai crescer e se organizar foram apresentadas pela arquiteta Maria Isabel Sundin do Lago e definiram a primeira etapa para estabelecer o quanto poder aacute; ser constru iacute;do em cada local da cidade.
A abertura da audi ecirc;ncia foi realizada pelo engenheiro agrimensor Franz Jambersi e foi prestigiada pelo prefeito Manoel Kuba, pela vice-prefeita Maria Elci Ven acirc;ncio da Silva, pelos engenheiros civis Luiz Mitsuo Shiomi e Adriano Mariot e pelos vereadores Rossano Fran ccedil;a Triches, Guilherme Vanin Rodrigues e Almir Bueno.
Segundo Maria Isabel, as primeiras reuni otilde;es aconteceram nos dias 26 e 27 de maio de 2010, oportunidade em que foram discutidos os c oacute;digos urban iacute;stico, de obras e de postura, que comp otilde;em o Plano Diretor.
A arquiteta apresentou um breve hist oacute;rico dos planos diretores implantados no munic iacute;pio ao longo dos anos, destacando a necessidade de atualiza ccedil; atilde;o do Plano Diretor atualmente em vig ecirc;ncia. ldquo;O primeiro Plano Diretor foi implantado em 1980, quando havia a perspectiva de crescimento da cidade em virtude da constru ccedil; atilde;o da Usina de Ilha Grande, projeto que n atilde;o saiu do papel. Depois, em 1992, foi criado um novo planejamento, que teria dez anos de validade. J aacute; o atual plano dever aacute; nortear a pol iacute;tica de crescimento p uacute;blico para o presente e futuro e eacute; por isso que precisamos pens aacute;-lo com esmero, j aacute; que Gua iacute;ra sinaliza grandes chances de desenvolvimento num futuro pr oacute;ximo rdquo;, destacou.
Maria Isabel apontou como principais eixos do munic iacute;pio a Avenida Mate Laranjeiras, Avenida Thomas Luiz Zeballos, Avenida Paran aacute;, Rua Osvaldo Cruz, Rua Parigot de Souza, Martin Luther King e Singiro Matsuyama, ruas consideradas como eixos de com eacute;rcio e presta ccedil; atilde;o de servi ccedil;os. No mapa, foi poss iacute;vel visualizar tamb eacute;m a zona residencial e as vias em que n atilde;o s atilde;o permitidas a constru ccedil; atilde;o de edifica ccedil; otilde;es acima de tr ecirc;s pisos, o que deve garantir a ldquo;ventila ccedil; atilde;o rdquo; da cidade. H aacute; ainda a zona de ocupa ccedil; atilde;o portu aacute;ria e de car aacute;ter tur iacute;stico, que deve ser preservada para esse fim.
O mapa de expans atilde;o urbana, que aponta onde podem ser constru iacute;dos novos loteamentos – desde que obede ccedil;am agrave;s regras impostas pelo Plano Diretor – tamb eacute;m foram apresentadas, provando que a cidade ainda tem vazios urbanos potencialmente atrativos.
Para finalizar, foram discutidas tamb eacute;m as zonas industriais.
Franz Jambersi informou que novas sugest otilde;es podem ser protocoladas na prefeitura ainda nesse m ecirc;s, j aacute; que, segundo ele, o objetivo eacute; fazer com que o Plano Diretor contenha todas as previs otilde;es poss iacute;veis para que o crescimento da cidade aconte ccedil;a de forma satisfat oacute;ria.

lt;galeria / gt;

Casa do eletricista TRATAM. E ACESS.
TOPO