Geral

Rui Barbosa abre festividades alusivas aos 55 anos

Recheada de bolo doce e emo ccedil; atilde;o foi a comemora ccedil; atilde;o dos 55 anos do Col eacute;gio Luterano Rui Barbosa, de Marechal C acirc;ndido Rondon, realizada ontem (1 ordm;), em frente ao educand aacute;rio. A cerim ocirc;nia, que marcou a abertura da programa ccedil; atilde;o festiva que seguir aacute; durante o semestre, contou com a presen ccedil;a de v aacute;rias autoridades, professores, funcion aacute;rios, alunos, ex-alunos, ex-professores e ex-diretores. O p uacute;blico presente cantou parab eacute;ns ao som da Banda Mirim do col eacute;gio, que tamb eacute;m realizou desfile pelas principais ruas da cidade. Em seguida, foi servido ao p uacute;blico um bolo de 55 metros de comprimento.
Dentre as autoridades presentes estiveram o presidente da Aivarb, Jadir Zimmermann, o diretor do Col eacute;gio, Neander Kloss, o pastor conselheiro Cleydes Kloss, o vice-prefeito Silvestre Cottica, o presidente da C acirc;mara de Vereadores, Ito Rannov, e a presidente da Acimacar, Ana Carolina Seyboth Kurtz.
Na oportunidade, eles destacaram a import acirc;ncia do educand aacute;rio para o munic iacute;pio de Marechal Rondon, bem como para a regi atilde;o, ressaltando o potencial da institui ccedil; atilde;o na educa ccedil; atilde;o dos alunos e sua contribui ccedil; atilde;o para a forma ccedil; atilde;o de uma sociedade mais justa.

Culto
Seguindo a programa ccedil; atilde;o alusiva ao 55 ordm; anivers aacute;rio, neste domingo (04), a Congrega ccedil; atilde;o Evang eacute;lica Luterana Cristo ter aacute; Culto de Gratid atilde;o, agrave;s 09 horas, no templo da igreja, sob a responsabilidade do capel atilde;o do col eacute;gio, pastor S eacute;rgio Maur iacute;cio Reinholz. O presidente da Igreja Evang eacute;lica Luterana do Brasil, pastor Egon Kopereck, j aacute; confirmou presen ccedil;a. Ap oacute;s o momento devocional, haver aacute; almo ccedil;o por ades atilde;o no Centro de Eventos II.
Em outras datas ainda haver aacute; concurso cultural, exposi ccedil; atilde;o hist oacute;rica e desfile.

Casa do Eletricista – TORNEIRAS ELÉTRICAS

Mem oacute;ria viva
Presente ao evento de ontem, o ex-pastor Guilherme L uuml;dke declarou agrave; reportagem de O Presente que n atilde;o imaginava ver um bolo t atilde;o grande como o que viu na ocasi atilde;o. Alegremente surpreso, o pioneiro da igreja e da escola, ao ver os alunos reunidos, rememorou a data de 07 de setembro de 1968, quando os poucos mais de 50 alunos realizavam o desfile c iacute;vico. ldquo;Era rua barrenta… hoje tem asfalto e eacute; pintada. Como eacute; bonito ver os alunos e ver como a escola aumentou. Eacute; tudo por b ecirc;n ccedil; atilde;o de Deus rdquo;, assegura. Ele lembra que no in iacute;cio somente havia uma sala de aula e uma de escrit oacute;rio, enquanto hoje existem tr ecirc;s blocos de pr eacute;dios, gin aacute;sio. Aos 101 anos, L uuml;dke se impressiona diante da velocidade com que o tempo passou. ldquo;Eu n atilde;o esperava que veria tudo isso rdquo;, testemunha, maravilhado.
L uuml;dke participou da elabora ccedil; atilde;o do projeto Brot f uuml;r die Welt (P atilde;o para o mundo) por meio do qual uma organiza ccedil; atilde;o alem atilde; doou recursos para a constru ccedil; atilde;o do pr eacute;dio da Unidade II, onde funcionam hoje o setor administrativo, o Ensino Fundamental II e o Ensino M eacute;dio.

Rejuvenescimento
Para o diretor por um per iacute;odo de cerca de 17 anos, Carlos Henrique Goebel, 71 anos, participar da solenidade de ontem foi gratificante no sentido de fazer parte da hist oacute;ria do educand aacute;rio. ldquo;Ver as crian ccedil;as reunidas deu saudade do barulho, do ru iacute;do escolar, da gurizada conversando, correndo, eacute; muito bom, faz com que nos tornemos jovem independente da idade. Quando se convive com os jovens penetra vitalidade na gente rdquo;, declara.
Ele conta que lecionou na escola, assim como os filhos estudaram nela e um deles veio a ser professor tamb eacute;m, enquanto uma filha eacute; funcion aacute;ria e os netos continuam estudando. ldquo;Passou de pai para filho, para neto e direi at eacute; que passar aacute; para os bisnetos. Eacute; uma escola de tradi ccedil; atilde;o, de personalidade e que sabe o caminho a que deve conduzir as pessoas rdquo;, conclui Goebel.

lt;galeria / gt;

TOPO