Copagril – Compras no Site
Geral

Unioeste pretende popularizar uso de cavalos em Rondon

Atualmente, a criação de cavalos na fazenda da Universidade é utilizada para aulas do curso de Zootecnia: ideia é abrir o espaço para a comunidade se familiarizar com os animais (Foto: O Presente)

Com o objetivo de promover a populariza ccedil; atilde;o dos cavalos, a Universidade Estadual do Oeste do Paran aacute; (Unioeste), campus de Marechal C acirc;ndido Rondon, est aacute; implementando um projeto de extens atilde;o por meio do qual pretende oferecer o acesso p uacute;blico ao animal, tanto para alternativa de terapia como para exerc iacute;cios e lazer. De acordo com a professora universit aacute;ria zootecnista Ana Alix Mendes de Almeida Oliveira, a proposta inicial consiste em oferecer a oportunidade para alunos da Apae de fazerem equoterapia na fazenda experimental da institui ccedil; atilde;o. Atualmente os alunos se deslocam a Toledo para terem esse atendimento.
Outra pretens atilde;o da docente e pesquisadora eacute; ampliar o uso do espa ccedil;o e dos animais para a popula ccedil; atilde;o em geral, que poder aacute; ter aulas de equita ccedil; atilde;o (montaria).
Conforme Ana Alix, a Unioeste j aacute; possui uma aacute;rea voltada para a equinocultura, destinada agrave;s aulas pr aacute;ticas do curso de Zootecnia. Na fazenda, localizada na Linha Guar aacute;, em Marechal Rondon, s atilde;o criados oito cavalos.
Para viabilizar o projeto de extens atilde;o, seria necess aacute;rio investir na infraestrutura da aacute;rea, bem como firmar conv ecirc;nio para disponibiliza ccedil; atilde;o de profissionais de sa uacute;de para o trabalho com os portadores de necessidades especiais. ldquo;J aacute; temos verba aprovada no valor de R$ 200 mil, por meio de emenda parlamentar do senador Fl aacute;vio Arns, mas falta a libera ccedil; atilde;o rdquo;, declara Ana Alix.
Ela acrescenta que a inten ccedil; atilde;o eacute; firmar um conv ecirc;nio com o Poder P uacute;blico municipal, que j aacute; se mostrou disposto a apoiar a iniciativa, bem como com a Apae.
Os recursos dever atilde;o ser destinados agrave; constru ccedil; atilde;o de uma pista de areia coberta e acomoda ccedil; otilde;es com acessibilidade para atender aos alunos da Apae. Tamb eacute;m ser aacute; necess aacute;ria aquisi ccedil; atilde;o de pelo menos mais dois cavalos, que dever atilde;o ser treinados para a equoterapia.

Favorecidos
A professora da Unioeste informa que a cria ccedil; atilde;o de cavalos na fazenda tem tr ecirc;s focos: o ensino para alunos do curso, a pesquisa, no desenvolvimento de Trabalhos de Conclus atilde;o de Curso (TCC rsquo;s) e a extens atilde;o, que visa disponibilizar os animais para uso da sociedade. ldquo;Para isso precisamos do investimento na infraestrutura rdquo;, justifica.
Segundo Ana Alix, o munic iacute;pio de Marechal C acirc;ndido Rondon tem caracter iacute;sticas que favorecem a equinocultura. ldquo;Isto porque possui um solo rico e alimentos nobres. O solo eacute; bastante f eacute;rtil para a produ ccedil; atilde;o de pasto e o munic iacute;pio conta com a produ ccedil; atilde;o de gr atilde;os utilizados na produ ccedil; atilde;o de ra ccedil; otilde;es. Al eacute;m disso, o aspecto geogr aacute;fico eacute; adequado, por ser plano rdquo;, menciona.
O uacute;nico fator que falta desenvolver no munic iacute;pio, do ponto de vista da docente, eacute; a quest atilde;o cultural. ldquo;No Brasil apenas n atilde;o se tem a cultura de criar cavalos, enquanto em outros pa iacute;ses ele eacute; tido como um animal de estima ccedil; atilde;o rdquo;, compara.
A montaria em cavalos, na vis atilde;o de Ana Alix, pode ser adotada como uma alternativa de atividade f iacute;sica, j aacute; que eacute; tida como um exerc iacute;cio completo. ldquo;Assim como as pessoas v atilde;o agrave; academia, fazem pilates, podem fazer equita ccedil; atilde;o (aulas de montaria) rdquo;, relaciona.

Casa do Eletricista – NÃO PAGUE AR

N uacute;meros
Conforme a zootecnista, se atualmente em torno de 80 alunos fazem uso dos animais para estudos e pesquisas, existe a possibilidade de ampliar para mais cerca de 30 alunos da Apae e ainda abrir para a comunidade.
O custo m eacute;dio de manuten ccedil; atilde;o mensal eacute; de aproximadamente R$ 120 por animal, considerando alimenta ccedil; atilde;o e m atilde;o-de-obra. ldquo;Mas na fazenda contamos com os alunos para cuidar dos animais, o que barateia os custos rdquo;, diz.
O objetivo da professora Ana Alix eacute; que as parcerias viabilizem a equoterapia gratuita para os estudantes da Apae, os quais necessitar atilde;o de acompanhamento de instrutor, fisioterapeuta, pedagogo e fonoaudi oacute;logo. J aacute; para o p uacute;blico em geral haveria algum custo, considerado baixo em rela ccedil; atilde;o a valores comumente praticados em outras regi otilde;es do pa iacute;s. ldquo;Pensamos que seja poss iacute;vel oferecer aulas de equita ccedil; atilde;o por mensalidade equivalente ao valor de se frequentar academia, por exemplo rdquo;, aponta.
Quest otilde;es pol iacute;ticas e burocr aacute;ticas devem determinar o tempo que vai levar para o projeto sair do papel.

Equoterapia
Eacute; um m eacute;todo terap ecirc;utico e educacional que utiliza o cavalo dentro de uma abordagem interdisciplinar, nas aacute;reas de sa uacute;de, educa ccedil; atilde;o e equita ccedil; atilde;o, buscando o desenvolvimento biopsicossocial de pessoas com defici ecirc;ncia e/ou com necessidades especiais.
Ela emprega o cavalo como agente promotor de ganhos f iacute;sicos, psicol oacute;gicos e educacionais.
Esta atividade exige a participa ccedil; atilde;o do corpo inteiro, contribuindo, assim, para o desenvolvimento da for ccedil;a, t ocirc;nus muscular, flexibilidade, relaxamento, conscientiza ccedil; atilde;o do pr oacute;prio corpo e aperfei ccedil;oamento da coordena ccedil; atilde;o motora e do equil iacute;brio.
A intera ccedil; atilde;o com o cavalo, incluindo os primeiros contatos, o ato de montar e o manuseio final, desenvolve novas formas de socializa ccedil; atilde;o, autoconfian ccedil;a e autoestima.

Fonte: Associa ccedil; atilde;o Nacional de Equoterapia (Ande-Brasil)

TOPO