Pref. Pato Bragado COVID
Pref. Marechal NATAL 2020
Marechal

Casos de dengue preocupam autoridades rondonenses

Um assunto que vem sendo trabalhado durante os 12 meses do ano pelo Poder Público rondonense com grande intensidade, através de campanhas e ações, volta a preocupar as autoridades municipais: a dengue. O tempo chuvoso e altas temperaturas têm contribuído, e muito, para a proliferação do mosquito transmissor da doença, o Aedes aegypti.

Somente em janeiro foram sete casos confirmados da doença no município. A preocupação de uma epidemia é bastante grande. O que também tem colaborado com este aumento de casos é a falta de apoio da população, que não tem feito a sua parte, fiscalizando periodicamente os quintais de suas casas e terrenos baldios. O lixo tem se mostrado um dos principais focos de proliferação do mosquito.

Casa do Eletricista – NÃO PAGUE AR

Atualmente, são 34 casos de notificações no município, havendo já 17 casos confirmados, sendo 14 casos autóctones e três importados. O Levantamento Rápido do Índice de Infestação (LIRA) também apresentou números preocupantes. Além do próprio Setor de Combate à Dengue, a Secretaria Municipal de Agricultura e Política Ambiental, em parceria com a Secretaria Municipal de Viação e Serviços Públicos, juntamente com equipes da Codecar e Cooperagir, vem dando apoio à causa e auxiliando nos mutirões de limpeza.

Pensando em toda essa situação, ontem (06) a Prefeitura de Marechal Rondon, por meio da Secretaria de Saúde, juntamente com o Programa Municipal de Combate à Dengue e o Comitê de Combate à Dengue, realizou reuniões que contaram com a presença de membros da sociedade civil, autoridades, equipes do governo municipal, além da diretora da 20ª Regional de Saúde, Denise Liell.

A diretora destacou que este contato está sendo mantido com todas as prefeituras da Regional para verificar a situação geral de cada uma. Essa situação é em nível regional e o mosquito não vê fronteiras, mas a situação de Marechal é preocupante. Focos do mosquito estão presentes em muitos prédios e domicílios da cidade e se existem vários casos positivos. A chance de se ter uma epidemia é bastante elevada. O Poder Público está fazendo a sua parte, pedimos também a atenção da população, apontou.

Ações devem ser tomadas no município para amenizar o problema. Entre eles estender a jornada de trabalho dos agentes de endemias, inclusive nos finais de semana, e fazer a utilização de inseticidas com bomba costal em áreas de maior incidência do mosquito, entre outras ações.

 

Febre chikungunya

Também existe preocupação das autoridades com a febre chikungunya, que é uma doença semelhante com a dengue, causada pelo vírus CHIKV, da família Togaviridae. Seu modo de transmissão é pela picada do mosquito Aedes aegypti. Seus sintomas são parecidos aos da dengue: febre, mal-estar, dores pelo corpo, dor de cabeça, apatia e cansaço. Porém, a grande diferença da febre chikungunya está no seu acometimento das articulações: o vírus avança nas juntas dos pacientes e causa inflamações com fortes dores acompanhadas de inchaço, vermelhidão e calor local.

Já os sintomas da dengue são febre alta, fortes dores de cabeça, dor atrás dos olhos, perda do paladar, do apetite, surgimento de machas avermelhadas pelo corpo, náuseas e vômito, cansaços extremos, dores na articulação e moleza e dores no corpo.

TOPO