Copagril – Compras no Site
Marechal

Em visita a Marechal Rondon, presidente do TJ destaca trabalho do Judiciário paranaense

Cumprindo agenda na região Oeste, o presidente do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR), desembargador Renato Braga Bettega, visitou as instalações do novo Fórum da Comarca de Marechal Cândido Rondon, na última sexta-feira (23). Na ocasião, ele disse que esteve na região para participar da inauguração do Fórum de Terra Roxa, que aconteceu na quinta-feira (22), e aproveitou a oportunidade para visitar os colegas. Além de Terra Roxa e Marechal Rondon, Bettega também passou por Guaíra e Palotina. “Acho que o presidente do Tribunal de Justiça tem essa obrigação de manter um contato estreito com os colegas juízes e de ouvir suas reivindicações e visão do Tribunal”, destacou o desembargador.

Questionado sobre o momento vivido pelo Poder Judiciário de uma forma geral, a considerar que nunca se falou tanto em Justiça em todo o Brasil, Bettega declarou que o Judiciário hoje é chamado para resolver questões que muitas vezes não precisaria resolver. “Vemos isso no âmbito do Supremo Tribunal Federal e também no âmbito estadual. Hoje as pessoas estão realmente procurando seus direitos e batendo às portas do Poder Judiciário”, enalteceu.

Casa do Eletricista – NÃO PAGUE AR

De acordo com o presidente do TJ-PR, o Poder Judiciário paranaense está tendo cada vez mais trabalhos. Conforme ele, as demandas são cada vez maiores. “A judicialização é maior e o Tribunal tem que atender. Em contrapartida, temos limitações orçamentárias, mas estamos sempre buscando, principalmente, priorizar o primeiro grau de jurisdição, que é realmente a porta de entrada do Poder Judiciário”, ressaltou.

 

Judiciário comprometido

Por ser palco de julgamentos envolvendo uma das maiores operações da atualidade, a Lava Jato, o Paraná aparece na mídia representado por um Judiciário ágil. Sobre isso, Bettega declarou que atualmente há uma demanda muito grande, mas que o Judiciário conta com um quadro de juízes comprometidos. “Além disso, temos um sistema que funciona bem, o Processo Eletrônico do Judiciário do Paraná (Projudi), e com isso as coisas caminham muito mais rápido do que antigamente. Graças ao nosso quadro de juízes e demais servidores, o Paraná realmente tem lugar de destaque, com índices bem expressivos no âmbito do Conselho Nacional de Justiça”, expôs.

Diante de uma legislação brasileira dúbia, ou seja, que depende de muitos pontos de vista, o desembargador afirma que este não seria o principal motivo de atrasos na celeridade e tramitação de alguns processos. “O fato que causa mais atrasos é justamente a parte processual e o número de recursos, mais isso é algo que tem sido enfrentado e acho que hoje, com os processos todos digitalizados, temos condições de enfrentar essa demanda”, frisou o presidente do TJ, dizendo que às vezes não há condições de se oferecer melhores estruturas, por conta das limitações orçamentárias, mas que acredita que as coisas estão relativamente bem.

Presidente do TJ-PR, Renato Braga Bettega, ladeado pelos juízes Clairton Spinassi, da Vara Criminal de Marechal Rondon, Berenice Ferreira Silveira Nassar, da Vara de Juizados Especiais, Luiz Fernando Montini, da Vara Cível e Fazenda, e Renato Cigerza, da Vara da Família, Infância e Juventude

Novo Fórum

Com investimento de aproximadamente R$ 5 milhões, o novo Fórum de Terra Roxa está localizado em um terreno com área de cinco mil metros quadrados, com 1,8 mil metros quadrados de construção, ao lado do Fórum Eleitoral,

O prédio possui previsão para alocação de uma Vara Cível e uma Vara Criminal (com secretaria, assessoria, gabinete de Juiz e sala de audiência independentes). Possui também estrutura para secretaria dos Juizados Especiais, com salas de

audiência e conciliação. No prédio há espaços para dois gabinetes de promotores, uma sala de assessoria e uma sala de serviços auxiliares do MP, além de uma sala para a OAB.

O empreendimento está localizado na Rua Osmar Ferrari, nº 289, no Bairro Parque Verde, e leva o nome do Doutor Sergio Ângelo Francisco Mattioli, que foi desembargador do Tribunal de Justiça do Paraná.

TOPO