Municípios Desenvolvimento Rural Sustentável

Inscrições de trabalhos ao 2º Seminário Internacional de Pós-Graduação seguem até dia 15

Coordenador do evento e do Programa de pós-graduação em Desenvolvimento Rural Sustentável, Wilson Zonin: “Nosso papel enquanto pesquisadores é mostrar que existem outros caminhos" (Foto: O Presente)

 

Com o objetivo de promover intercâmbio e disseminação de saberes e conhecimentos entre pesquisadores, professores, estudantes de pós-graduação, lideranças e integrantes de entidades promotoras do desenvolvimento rural sustentável de toda a América Latina, o Programa de pós-graduação stricto sensu em Desenvolvimento Rural Sustentável (PPGDRS), nível de mestrado e doutorado, da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), está organizando a 2ª edição do Seminário Internacional de Pós-Graduação em Desenvolvimento Rural Sustentável.

O evento será realizado no campus da Unioeste de Foz do Iguaçu entre os dias 07 e 09 de agosto e contará com uma programação bastante ampla através de mesas temáticas de debates, discussões e apresentações de pesquisas em forma de grupos de trabalho.

Casa do Eletricista – RETOMA

Neste ano, o tema central do seminário é “Águas, alimentos, saberes, inclusão social e produtiva nos territórios rurais da América Latina”. As inscrições para submissão de trabalhos e artigos seguem abertas até o próximo dia 15 e podem ser realizadas no endereço https://midas.unioeste.br/sgev/eventos/IISIPGDRS.

O evento será composto a partir de 14 áreas temáticas, sendo elas “Territórios, redes de solidariedade e desenvolvimento contra-hegemônico”, “Inovações tecnológicas”, “Agroenergia e gestão”, “Agroecologia”, “Movimentos sociais, reforma agrária e resistência no campo”, “Educação ambiental e gestão de bacias”, “Gestão das águas na produção de alimentos”, “Segurança e soberania alimentar”, “Cultura alimentar: interfaces nos contextos rurais e urbanos”, “Educação no campo, patrimônio cultural e saberes tradicionais: gênero e ruralidades”, “Extensão rural, juventude e sucessão rural”, “Cooperativismo de economia solidária”, “Agricultura de montanha e montanhas e sistemas agroflorestais”, “Agropecuária sustentável”, “Gestão, legislação e políticas DRS” e “Agricultura, saberes e línguas indígenas”.

 

Pesquisas e interdisciplinaridade

Palestrantes de renome nacional e internacional comandarão grandes debates em mesas redondas a partir de temas como “Agricultura familiar e desenvolvimento rural sustentável”, ‘Estado da arte do desenvolvimento rural sustentável nos programas de pós-graduação na América latina”, “Água, agrotóxico, soberania alimentar”, “Políticas públicas para o desenvolvimento rural sustentável na América Latina” e “Instituições no debate do Desenvolvimento Rural Sustentável”.

Conforme o coordenador do Programa de pós-graduação em Desenvolvimento Rural Sustentável, professor Wilson João Zonin, que também está responsável pela coordenação do evento, o seminário internacional se justifica pela necessidade de ampliar as pesquisas e discussões interdisciplinares sobre o desenvolvimento rural sustentável face à crise socioambiental generalizada, de ampliar espaços de diálogo entre pesquisadores, grupos de pesquisa, programas de pós-graduação, graduações, entidades e instituições promotoras do desenvolvimento rural sustentável e de sistematizar conhecimentos, divulgar ações e gerar publicações nesta temática.

Em sua 1ª edição, realizada em 2017 no campus da Unioeste em Marechal Cândido Rondon, o evento teve a presença de 600 participantes de oito países e apresentações de 220 artigos que ampliaram o debate sobre o desenvolvimento rural sustentável. “Neste ano nós estamos trazendo cerca de dez programas de pós-graduação que atuam na América Latina com temas semelhantes. Estamos procurando conhecer esses programas. Por exemplo, no ano passado, fizemos uma parceria com a Universidad Nacional del Este, de Minga Guazú, a 30 quilômetros de Foz do Iguaçu. Já neste ano estamos fechando um convênio com a Universidad Nacional de Missiones, na qual também existe um programa de pós-graduação em desenvolvimento rural”, comenta Zonin.

A partir dos estudos e pesquisas apresentados no evento, um dos objetivos, segundo o professor, é a publicação de um livro com o estado da arte do desenvolvimento rural sustentável a partir desses programas de pós-graduação. “Um panorama do que é feito, o que se pensa e o que dizem os estudos dessas regiões”, destaca. “O livro vai sair ainda neste ano com os programas que estiverem presentes no evento. A meta é atingir dez programas. Não sabemos quantos existem na América Latina porque esse é um tema abordado em vários programas. Mas queremos ver onde o foco específico em desenvolvimento rural sustentável está sendo trabalhado nas pós-graduações”, complementa.

Além disso, de acordo com o coordenador do evento, a expectativa é que mais de 300 trabalhos sejam inscritos e aprovados para apresentação. “É um evento em construção. Quando chegarmos à décima, vigésima edição, queremos ter uma mapeamento completo da América Latina. Hoje estamos em um processo inicial que visa chegar mais à frente com esse objetivo. Nosso programa transcende a Unioeste e a própria região pela importância dos temas discutidos. Nossa intenção é promover cada vez mais uma integração maior com as experiências de toda a América Latina. Agradecemos o apoio da Itaipu Binacional para com a realização de um evento de tal magnitude”, ressalta.

 

Preocupações

Na visão de Zonin, hoje é indiscutível que as comunidades têm preocupações com a qualidade dos alimentos, a sanidade e os impactos das atividades produtivas. “Nós precisamos de um setor produtivo forte, mas que também preserve a água, a biodiversidade, sem a qual não há produção de alimentos. Esses são os temas que estamos discutindo e trazendo resultados e pesquisas que têm contribuído para mostrar novos caminhos”, pontua.

Segundo ele, o uso excessivo de produtos químicos e agrotóxicos é uma das questões mais preocupantes que permeiam as discussões atuais. “Nosso papel enquanto pesquisadores é mostrar que existem outros caminhos. O programa é uma forma de levarmos essas boas experiências e poder aprender com outras experiências que existem no mundo, conhecendo, divulgando e incentivando o desenvolvimento de novos trabalhos”, expõe.

O coordenador e docente também chama atenção para a necessidade de os projetos de desenvolvimento da região serem decididos pelo prisma ambiental. “Vemos preocupações com grandes empreendimentos na região que poderão duplicar a produção de suínos, por exemplo. Isso significa que vamos precisar de mais água, significa que nós corremos risco de contaminar ainda mais o meio ambiente. Mas nós podemos fazer isso sem contaminação”, diz, acrescentando: “São debates feitos à luz de discussões que inclusive o mercado vem absorvendo. Hoje o mercado mundial está rejeitando produtos cuja concepção social e ambiental não esteja nos padrões. É importante que todos possam compreender essas dinâmicas da própria economia do mundo. As exigências são altas e serão cada vez maiores”.

 

Contribuição

Com mais de 100 dissertações produzidas pelo Programa de pós-graduação em Desenvolvimento Rural Sustentável, Zonin enaltece a abordagem interdisciplinar e o envolvimento de várias dimensões. “Estamos mostrando através do programa excelentes resultados na construção de políticas públicas e sua importância para os agricultores, na geração de renda e preservação ambiental. Esse é um dos pontos em que mais tivemos resultados”, analisa.

Diante da contribuição do programa a partir da promoção de trabalhos, discussões e debates, colocando-os à disposição da comunidade, o coordenador do evento ressalta a importância da participação na programação do seminário internacional, que é aberto ao público. “Pedimos para que os interessados em conhecer e divulgar seus trabalhos entrem em contanto com nosso programa, verifiquem no site os dados disponíveis e contribuam com a realização de um bom evento”, finaliza Zonin.

 

Inscrições

De 04 de abril a 06 de agosto

Estudantes graduação   R$ 60

Estudantes dos programas de pós-graduação     R$ 100

Professores, pesquisadores, profissionais e público em geral     R$ 160

 

Inscrições no dia do evento para apenas um dia:

Estudantes graduação   R$ 25 o dia

Estudantes dos programas de pós-graduação     R$ 40 o dia

Professores, pesquisadores, profissionais e público em geral     R$ 60

 

Datas-limite

Submissão dos trabalhos para os GTs (grupos de trabalho)       15 de junho

Período de avaliação     de 15 a 30 de junho

Divulgação dos resultados     1º de julho

Período de revisão dos trabalhos  02 a 08 de julho

 

O Presente

TOPO