Paraná Incremento da produtividade

Parque Tecnológico Itaipu leva soluções para o Agronegócio ao Show Rural 2020

(Foto: Kiko Sierich/PTI)

Uma pequena mostra de tudo o que o Parque Tecnológico Itaipu (PTI), localizado dentro da área de Itaipu Binacional, em Foz do Iguaçu, tem a oferecer para tornar o agronegócio do Brasil ainda mais próspero estará disponível na 32ª edição do Show Rural Coopavel, que acontece entre os dias 3 e 7 de fevereiro em Cascavel.

Além de toda a tecnologia e inovação dos projetos do Parque Tecnológico, que possui uma expertise de mais de 16 anos de atuação, atendendo principalmente a maior geradora de energia elétrica do mundo – a Itaipu, o estande do PTI, no espaço do Show Rural Digital, reunirá projetos e soluções de empresas incubadas e do Centro Internacional de Energias Renováveis (CIBiogás), que compõem o ecossistema do Parque e também têm uma atuação voltada ao agronegócio.

Casa do Eletricista – Clorador Agosto

Em 2019, o Parque Tecnológico iniciou um processo de reestruturação – alinhada às diretrizes de austeridade do general Joaquim Silva e Luna, diretor-geral brasileiro da Itaipu – e adotou um novo planejamento estratégico, em que o Agronegócio está entre as quatro vertentes de atuação do Parque, juntamente com Energias, Segurança de Infraestruturas e Turismo e Cidades.

Dentro dessa linha, uma série de projetos do Parque Tecnológico podem auxiliar o incremento da produtividade do agronegócio e estarão à mostra no Show Rural 2020. É o caso, por exemplo, das aeronaves não tripuladas, popularmente conhecidas como drones, que captam imagens em locais de difícil acesso de forma segura – o que permite, por exemplo, a otimização do monitoramento da produção.

As estações meteorológicas de baixo custo desenvolvidas pelo Parque também são exemplos das tecnologias que estarão no estande. Elas compõem o projeto da “Fazenda Inteligente”, por meio do qual o Parque disponibiliza infraestrutura de rede em locais onde não há acesso e, através da aplicação do conceito de Internet das Coisas (IoT), faz a medição dos dados agrometeorológicos para auxiliar a tomada de decisões no campo.

 

ALTERNATIVA ENERGÉTICA E AMPLIAÇÃO DE RENDA

O biogás com fonte alternativa de energia elétrica, térmica e de biocombustível e com potencial de reduzir custos e diversificar a renda do agronegócio será apresentado pelo CIBiogás no estande do Parque Tecnológico. O Centro acumula cases de sucesso no Paraná, como é o caso da Granja Haacke em Santa Helena, no Oeste do Estado, onde o que era problema – o passivo ambiental – foi transformado em ativo energético.

O biogás também está trazendo benefícios para o município de Entre Rios do Oeste, onde foi inaugurado em 2019 um arranjo de microgeração desenvolvido em parceria entre o PTI, o CIBIogás, a Copel e a Prefeitura de Entre Rios, que interligou 17 propriedades rurais por meio de um gasoduto. A produção de energia a partir do biogás é destinada para a iluminação dos prédios e espaços públicos e vem gerando economia para a administração municipal, além de garantir a segurança energética da localidade.

 

HACKATHON

Um dos desafios da maratona de desenvolvimento de soluções para problemas da agroindústria, o Hackathon Show Rural Coopavel, que acontece nos dias 3 e 4 de fevereiro, será proposto pelo Parque Tecnológico. A equipe do Programa de Desenvolvimento de Negócios do PTI vai acompanhar e dar mentoria aos participantes.

Este ano, os três primeiros lugares do Hackathon, além da premiação, terão suas ideias automaticamente incubadas no edital 2020 da Incubadora do PTI, que será lançado no Show Rural 2020, e terão a possibilidade de transformar suas propostas em negócios de sucesso.

 

INCUBAÇÃO E EMPREENDEDORISMO

O agronegócio também se destaca entre as linhas de atuação das empresas incubadas que fazem parte do Programa de Desenvolvimento de Negócios do PTI. O espaço do Show Rural vai servir como “vitrine” para seis startups apresentarem seus produtos e serviços relacionados ao setor.

A STAC, por exemplo, é uma startup com foco na avicultura. A empresa desenvolveu um aplicativo para o monitoramento remoto dos dados de ambiência e do desenvolvimento do frango, permitindo que o produtor possua as informações de todos os aviários em suas mãos. Com essa tecnologia, o produtor melhora a produção e otimiza custos operacionais, mantendo a qualidade da carne e o bem estar animal e humano.

Já a Embio desenvolveu um fertilizante orgânico, de natureza líquida e aplicação via solo, utilizando matérias primas consideradas como dejetos. O produto contribui para o aumento de produtividade da soja e do milho. O resultado é visto no solo, que apresenta melhor qualidade e, também, no desenvolvimento das culturas, resultando em maior qualidade de vida para as gerações atuais e futuras.

Além dessas duas empresas, no estande do PTI estarão representantes da EVAH (impulsionamento de vendas e serviços em dispositivos móveis); AIS (ambientes virtuais e simulações com realidade virtual e aumentada); Brexbit (tecnologia blockchain para o agronegócio); e Nanomax (produtos fisiológicos para melhoramento de plantas e animais) – todas incubadas do Parque.

 

Com assessoria

TOPO