Policial Balanço

BPFron já abordou 64 mil pessoas em 2018

Comandante do BPFron, tenente-coronel Saulo de Tarso Sanson Silva: “Nossas apreensões representam muito dinheiro e devemos atuar cada vez mais firmes contra o crime. Infelizmente uma pequena parcela de pessoas participa desse processo de contrabando e tráfico, e nós estamos aqui para combater isso” (Foto: Joni Lang/OP)

 

Prestes a completar três meses no comando do Batalhão de Polícia de Fronteira (BPFron), o tenente-coronel Saulo de Tarso Sanson Silva faz uma análise positiva da atuação da unidade da Polícia Militar (PM) do Paraná constituída para o combate a crimes na faixa de fronteira, tríplice fronteira e no Lago de Itaipu. “Vim para ajudar com a minha experiência de 26 anos de polícia e apoiar esses valorosos militares que atuam na linha de frente”, destaca o militar, que ingressou nos quadros da PM no ano de 1992 em Foz do Iguaçu, oportunidade em que conheceu toda a Costa Oeste.

Sanson, que já atuou no grupo Choque, Rone e Polícia Rodoviária, também exerceu funções nos setores de inteligência e ouvidoria, os quais considera vertentes importantes para a construção do policiamento de fronteira. “Uma está ligada ao ensino, através de cursos para manter os policiais bem treinados. Foi o que fizemos na capacitação do curso de policiamento de fronteira, recentemente, e agora com a instrução específica para a Rocam com preparação aos policiais para toda e qualquer situação. Um policial bem preparado transmite muito mais segurança à comunidade e também mais realidade nas situações adversas que venham a acontecer”, ressalta ao O Presente.

Casa do Eletricista – Clorador Agosto

O setor de inteligência, enaltece o tenente-coronel, traz informações importantes a todo policial sobre ações específicas, estratégicas, pontuais e determinantes. “Tenho uma equipe extremamente preparada para dar esse subsídio aos policiais da linha de frente. Sempre digo que temos os policiais militares da mais alta competência. Sinto orgulho de comandar essa equipe”, evidencia.

O comandante do BPFron afirma que a tecnologia precisa caminhar paralelamente às ações da polícia. “Por isso eu trouxe o nosso centro de comando móvel que integra todas essas questões de inteligência, câmeras e também de comunicação. Estamos em diálogo com as prefeituras de diversas cidades para que possamos ter real espelhamento e monitoramento de câmeras que as prefeituras nos disponibilizem, o que vai gerar envergadura muito mais ampla pela oportunidade de acompanhar toda cidade de um só local, ou seja, representa fazer mais com menos. Isso está sendo construído e tende a avançar cada vez mais agora para 2019”, comenta.

 

BALANÇO

Em relação às operações e apreensões feitas em toda faixa de extensão do BPFron, que reúne 139 municípios, Sanson diz que o balanço das ações desenvolvidas de 1º de janeiro até o último dia 05 apontam para abordagens, prisões e apreensões de pessoas; abordagens, apreensão e recuperação de veículos; apreensões de armas, munições e simulacros; retirada de circulação de cigarros contrabandeados, pneus, agrotóxicos, além de substâncias entorpecentes como maconha, haxixe, crack, cocaína, pasta base, ecstasy, entre outras; e apreensão de dinheiro, tanto em reais quanto dólares e outras moedas.

Ele enfatiza que o Batalhão tem trabalhado não apenas nos crimes típicos da fronteira, mas também dado recobrimento de área à sociedade de Marechal Cândido Rondon e diversas outras cidades através de operações. “Abordamos mais de 64 mil pessoas neste ano, o que em muitos casos representa a retirada de circulação de pessoas que têm pendências com a Justiça, que portavam produto entorpecente ou praticavam alguma ilegalidade. Só em Marechal Rondon foram 3.905 pessoas abordadas, além de 58 presas e oito menores apreendidos. Percebemos que existe ação efetiva em Marechal Rondon e região”, menciona o comandante, acrescentando: “Nossas apreensões representam muito dinheiro e devemos atuar cada vez mais firmes contra o crime. Infelizmente uma pequena parcela de pessoas participa desse processo de contrabando e tráfico, e nós estamos aqui para combater isso”, salienta.

O tenente-coronel diz acreditar que o novo governo adote políticas que busquem frear os desvios de conduta da sociedade. “Não é só a polícia que faz toda essa questão. A polícia trabalha com uma frente, mas é preciso que a política ajude a solucionar esse problema crônico em toda fronteira”, pontua.

Na opinião do comandante do BPFron, há boas expectativas para melhores condições de trabalho a partir da ampliação de investimentos e melhor aparelhamento do setor da segurança público no governo do presidente eleito Jair Bolsonaro. “A Polícia Militar apoia o governante que está à frente do povo através de uma eleição democrática. Daremos continuidade a esta missão e a fronteira tem boa expectativa de investimentos. É isso o que desejamos, que recursos sejam aplicados nas polícias e que nós possamos combater o crime organizado para oferecer segurança à sociedade”, expõe.

 

VIATURAS NOVAS

Duas semanas atrás 13 novas viaturas foram incorporadas às três companhias do BPFron, nas cidades de Marechal Rondon e Foz do Iguaçu, assim como Guaíra e também Santo Antônio do Sudoeste. “Recebemos as viaturas há três semanas do governo estadual. Trouxemos ao município, aguardamos ajustes e entregamos no último dia 06 após instrução com especialista da GM porque são viaturas de excelência, com itens que trazem benefícios e ajudam o policiamento de fronteira. Elas são completas e podem adentrar em qualquer terreno. São altas, têm motor potente e dispõem de recursos que favorecem o policial motorista. Houve instrução com todo efetivo para os policiais terem completo conhecimento das funcionalidades das viaturas. A partir de agora vamos distribuir as camionetas nas três companhias”, comenta o comandante.

Algumas das camionetas GM/Trailblazer foram entregues ontem (10) à Companhia da cidade de Guaíra.

 

PELOTÃO AQUÁTICO

Sobre a pretensão de instalar um pelotão aquático do BPFron na base náutica de Entre Rios do Oeste, Sanson garante que as tratativas seguem acontecendo. “O BPFron possui interesse de estar com a base náutica em Entre Rios do Oeste, uma vez que se trata de algo fundamental e estratégico do ponto de vista do Batalhão. Posso dizer que as conversas com a Itaipu estão adiantadas, mas o assunto requer decisões e assim que tivermos novidades vamos comunicar à sociedade”, relata.

Ele menciona que primeiramente há necessidade de homologação por parte da Itaipu para então ser verificado orçamento e elaborado projeto para viabilizar a ocupação no terreno. “Verificamos pessoalmente que é uma boa instalação, mas requer reformas pontuais. Estamos em discussão com os técnicos da Itaipu para que possamos fazer essa parte de projetos avançar assim que o pedido for aprovado. Certamente ficará para o próximo ano”, revela.

 

CURSO DE FRONTEIRA

O tenente-coronel enfatiza o fato de o Batalhão de Polícia de Fronteira ser referência em nível de ensino. Neste sentido, ele cita uma atividade pioneira concluída no último dia 27, com a formatura de policiais militares dos Estados do Paraná, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Santa Catarina, assim como do vizinho país Argentina, reunindo 27 policiais. O Curso de Policiamento de Fronteira (CPFron) foi realizado no período de 45 dias, com treinamentos e palestras feitas por policiais de renome, incluindo profissional dos Estados Unidos. “O curso foi um avanço. Somos referência em nível de ensino. Muitos policiais de Estados vizinhos percebem que estamos bastante adiantados nas doutrinas e nos ensinamentos sobre o policiamento de fronteira. Tivemos coordenação de um oficial exclusivo ao curso e foram semanas de aprimoramento exaustivo. Não existia fim de semana, noite, madrugada e no final foi unanimidade entre os alunos a excelência do ensino”, salienta, evidenciando que o aperfeiçoamento aos policiais será colocado em prática na atuação nas regiões de fronteira.

 

181 e WHATSAPP ANÔNIMO

O comandante do BPFron chama a atenção para uma ferramenta fundamental que ajuda o trabalho da PM: o 181. “Estamos com duas frentes: o 181, que vem do Estado e devemos divulgar e promover porque é totalmente anônimo e seguro; e o WhatsApp anônimo, através do número 41 9.9106-6815, que é um projeto que está sendo iniciado. Hoje há muita facilidade na comunicação via WhatsApp, pois é um aplicativo que a maioria dos cidadãos tem a seu dispor, e desta forma é uma opção que a população tem para nos ajudar nessa luta do bem contra o mal”, ressalta Sanson. “Temos uma equipe da inteligência que recebe essas denúncias, e felizmente já chegaram informações pontuais e relevantes. Precisamos que a comunidade nos auxilie com informações, já que são elas que alimentam as forças policiais, possibilitando que tomem conhecimento das situações da nossa Costa Oeste”, evidencia.

 

 

O WhatsApp anônimo, através do número 41 9.9106-6815, é um projeto que está sendo iniciado e uma opção que a população tem para nos ajudar nessa luta do bem contra o mal

 

 

 

RESULTADO DAS AÇÕES EM 2018

Em toda área e em Marechal Cândido Rondon

PESSOAS

Abordadas         64.611                  3.905

Presas                  349         58

Apreendidos                    46           8

Mandados de prisão      69           9

Mandados de busca e apreensão            49           11

 

VEÍCULOS

Abordados         13.384   900

Apreendidos     460         48

Recuperados     61           11

Embarcações apreendidas              19           3

 

ARMAMENTO

Armas apreendidas       109         8

Munições           10.487   149

Simulacros         60           2

Armas brancas  16           —

 

CONTRABANDO

Pacotes de cigarros        786.818 247.278

Unidades de pneus        5.571     54

Agrotóxicos       2.544     —

Unidades diversas          21.801   624

Rádios comunicadores 43           11

Medicamentos 4.591     —

Mercadorias      5.858     20

Anabolizantes  1.052     —

 

DROGAS

Maconha (quilos)           8.747     1.229

Haxixe  101         0,06

Crack     3,4          —

Cocaína                42           1,8

Pasta base          0,3          —

Ecstasy 2,4          —

Outras drogas   3             —

 

DINHEIRO

Moeda nacional (R$)     245.786,00          11.881,80

Dólares (US$)    38.816,00            38.187,00

Outras moedas 898.331,00          735.000,00

 

O Presente

TOPO