Política

Em festa do PT, Dilma diz que país tem de ter ‘orgulho’ da Petrobras

Divulgação

 

No dia em que indicou o novo presidente da Petrobras, a presidente Dilma Rousseff aproveitou seu discurso na festa de 35 anos do Partido dos Trabalhadores (PT), em Belo Horizonte, para defender a estatal do petróleo. Diante de dirigentes e militantes petistas entre os quais o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva , a chefe do Executivo afirmou que o país tem de ter “orgulho” da Petrobras.

“Estou dizendo que temos de ter orgulho da Petrobras. Nós não podemos aceitar que alguns tentem colocar a Petrobras como sendo uma vergonha para o Brasil. Eu tenho certeza que temos de saber apurar e saber punir, porque é fundamental que a gente não deixe se repetir nenhuma irregularidade na Petrobras”, discursou a presidente no auditório do Minas Centro, centro .

Apesar de ter saído em defesa da Petrobras, Dilma não mencionou ao longo dos 55 minutos de discurso o nome do novo presidente da estatal, Aldemir Bendine. O conselho de administração da petroleira aprovou nesta sexta, “por maioria”, a indicação de Bendinepara o comando da empresa.

Casa do Eletricista – TORNEIRAS ELÉTRICAS

O até então presidente do Banco do Brasil substituirá Graça Foster na presidência da Petrobras. Ela renunciou ao cargo na quarta-feira (4) ao lado de cinco diretores. A troca acontece em meio às investigações de desvio de dinheiro da estatal na Operação Lava Jato.

Preservar a história do PT

Durante o discurso, a presidente afirmou aos militantes que é preciso preservar a história do PT. Na avaliação de Dilma, não se pode vacilar ou ter medo dos desafios que o partido terá pela frente.

Nós temos coragem política para fazer com que a gente não desanime diante dos desafios. Tenho certeza que essa coragem política, que cada um de nós deve agora colocar claramente diante de si e dizer que nós não podemos vacilar. Nos não podemos ter medo. Se tiver erro, aqueles que erraram que paguem. Nós temos de preservar a nossa história, a história desse partido, do meu governo e do presidente Lula, disse.

Assim como fez na reunião ministerial na Granja do Torno em janeiro, quando cobrou que os ministros reajam a boatos e defendam o governo, a presidente se dirigiu aos militantes do PT e afirmou que eles têm de levar à opinião pública o posicionamento do governo sobre cada tema.

Nós não podemos permitir que a falsa versão se crie, porque o que acontece muitas vezes é a falsa versão. Nós temos de reagir aos boatos, temos de travar a batalha da comunicação. Temos de levar a posição do governo à opinião pública e, sobretudo, nós não podemos deixar dúvidas, disse.


TOPO