Copagril
Política

Novidade nas próximas eleições

 

Maria Cristina Kunzler/OP

Com início da biometria ordinária em 25 de janeiro na Comarca de Marechal Rondon, no pleito eleitoral de 2018 haverá eleitores que votarão por meio da identificação digital

 

Eleitores de diversos municípios do Paraná que foram às urnas em outubro votaram através do sistema de biometria, em que a identificação ocorre por meio da impressão digital. Para a Comarca de Marechal Cândido Rondon ainda não há previsão de quando o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PR) deve iniciar a revisão biométrica, ocasião em que os eleitores precisam ir ao Fórum Eleitoral para fazer o recadastramento para que fiquem aptos a votar.

Porém, a partir do dia 25 de janeiro o eleitor que precisar de um atendimento da Justiça Eleitoral relacionado ao alistamento (obtenção do primeiro título, transferência, revisão e segunda via) já vai efetuar a coleta de dados biométricos na comarca rondonense. Este procedimento é uma novidade por parte do TRE-PR e se chama biometria ordinária, pois não exige um procedimento distinto de convocação de todo o eleitorado e ocorre durante os atendimentos regulares. Não há previsão para o início da revisão biométrica em Marechal Cândido Rondon, frisa o chefe do Cartório Eleitoral, Fábio Gealh, segundo o qual, esta iniciativa nova do Tribunal não se configura como revisão biométrica.

Casa do Eletricista CÂMERAS

Por enquanto a Zona Eleitoral de Marechal Cândido Rondon não terá revisão do eleitorado com coleta de dados biométricos. Ao contrário de quando ocorre a revisão, nesse momento não haverá convocação de eleitores para comparecer ao Cartório para revisar seus dados com coleta de dados biométricos. Apenas aqueles que necessitem de atendimento terão seus dados biométricos cadastrados nesta oportunidade. Também não há prazo para comparecimento obrigatório, como quando há na revisão, esclarece.

Conforme Gealh, a revisão biométrica deve ocorrer em um segundo momento, provavelmente em 2019 ou 2020, quando todos os eleitores serão informados a respeito. Destaca-se que o eleitor que comparecer a partir de 25 de janeiro não precisará participar da revisão biométrica. Os dados coletados a partir desta data serão válidos para o período da revisão, reforça.

 

Sem pressa

O chefe do Cartório Eleitoral enaltece que não há recomendação para que os eleitores compareçam ao Fórum caso não precisem regularizar alguma situação em seu título ou alterar dados. Isto porque, conforme ele, o atendimento neste momento permanecerá com a estrutura atual que conta com apenas dois servidores. Já quando ocorrer a revisão biométrica será instalada uma estrutura diferenciada com contratação de mais atendentes para a demanda, justifica.

 

As duas formas

Em razão do início da coleta de dados biométricos, a próxima eleição de 2018 nos municípios que integram a 121ª Zona Eleitoral, que abrange, além de Marechal Rondon, as cidades de Entre Rios do Oeste, Mercedes, Nova Santa Rosa, Quatro Pontes e Pato Bragado, terá identificação híbrida de eleitores – com manutenção da identificação atual através de documentos – e a biométrica, para aqueles que tenham estes dados coletados. Esta situação exigirá maior atenção dos mesários, que contarão com treinamento específico para essa nova forma de identificação dos eleitores, destaca.

Gealh comenta que as urnas eletrônicas utilizadas atualmente nas eleições da comarca rondonense já possuem dispositivo para coleta de dados biométricos. E o eleitor que tiver estes dados coletados será identificado na folha de votação de maneira diferenciada, inclusive com a impressão de sua foto no caderno, afirma.

TOPO