Fale com a gente

Política Por Dilceu Sperafico

Os novos tratores e equipamentos da moderna tecnologia e sustentabilidade

Publicado

em

(Foto: Divulgação)

Além de expor o potencial produtivo do agronegócio brasileiro para o País e o mundo, a 29ª Feira Internacional de Tecnologia Agrícola em Ação (Agrishow 2024), realizada entre 29 de abril e três de maio, em Ribeirão Preto, São Paulo, se destacou pelo lançamento de novos equipamentos e prestadores de serviços tecnológicos para a agropecuária nacional. Entre as novas e revolucionárias máquinas estiveram tratores elétricos e/ou movidos a gás metano, com grande redução de custos do combustível tradicional, como é o óleo diesel. Ambos os tratores foram lançados pela New Holland, com o primeiro equipamento 100% elétrico comercial do mundo.

O segundo trator tem preço comercial de mais de 30% acima de veículo tradicional com a mesma potência, mas essa diferença é compensada em dois anos com combustível mais barato, como é o gás metano. Com a nova máquina, ao invés de gastar seis reais por litro de diesel para veículo motorizado, o produtor rural pode despender apenas um real por combustível equivalente, mas elaborado com resíduos da propriedade. Da mesma forma, com o trator elétrico, pode aproveitar o excedente gerado pelas placas solares da propriedade, energizando baterias e motores do maquinário agrícola.

No mesmo evento, a New Holland também anunciou a entrada no mercado nacional de drones de pulverização, partir de outubro próximo, com a oferta de dois modelos, de 30 litros e 70 litros, este o maior do País em capacidade de carga, pois outros modelos disponíveis atingem apenas 50 litros. Além da aplicação de líquidos, o novo equipamento também pode distribuir sólidos nas lavouras, como sementes e fertilizantes. O drone funciona a bateria, com 2,8 metros de diâmetro e bicos rotativos sob as quatro hélices, o que possibilita uniformidade de aplicação e maior qualidade ao pulverizador, com processo favorecido pelas próprias hélices, que agitam a plantação e dão maior poder de penetração ao produto.

Os novos equipamentos envolvem avanços técnicos e científicos, com desempenho, sustentabilidade e capacidade de promover transformações industriais e sociais, integrando a estratégia da empresa de se tornar líder mundial em energia limpa. Em 2018, já havia lançado o 1º trator movido a biometano, vendido no Brasil desde 2023. O trator elétrico deve entrar no mercado norte-americano em 2025 e no Brasil ainda não há previsão estabelecida, pois sua utilização depende de melhorias na conectividade elétrica das propriedades rurais, pois o veículo foi projetado para trabalhar conectado em tempo integral.

O metano, vale tressaltar, é gás residual da produção bovina, suína e aviária e subproduto de usinas de etanol e açúcar e até mesmo de aterros sanitários das cidades. Solto na atmosfera, atua como um dos gases de efeito estufa que estão aquecendo o planeta e, no Brasil, seu manejo e descarte adequado é obrigatório. Torná-lo um combustível limpo, portanto, pode mudar os custos da produção e ainda monetizar o que antes era passivo para o campo e municípios.

O Brasil é líder na venda de máquinas New Holland, com 10% dos tratores e 30% das colheitadeiras e a expectativa para os próximos anos é ampliar essa participação. Apesar da queda do mercado de tratores e colheitadeiras no Brasil em 2023, de 10% a 15% em relação a 2022, e de nova retração prevista para este ano, a empresa aposta nas boas perspectivas a médio prazo.

Dilceu Sperafico é deputado federal pelo Paraná
dilceu.joao@uol.com.br

Copyright © 2017 O Presente