Fale com a gente

Arno Kunzler

Moro em alta

Publicado

em

Por mais que lulistas e bolsonaristas tentem manchar a imagem de Sergio Moro e ele, de forma ingênua, passe a imagem de político inexperiente, o ex-juiz, se quiser, vai ter muitos eleitores nas eleições de outubro.

Foi citar algumas vezes que ele pode ser candidato a senador pelo Paraná que na primeira pesquisa de intenção de votos já aparece na frente de nomes tradicionais como do senador Alvaro Dias e os que estão em campanha, como Guto Silva, Paulo Martins e outros.

Sergio Moro conseguiu uma rejeição praticamente unânime da classe política, porque na condição de juiz virou algoz de lideranças importantes de todas as matizes ideológicas.

Mas uma grande parcela da população lhe prestigia indicando que pode votar nele, caso seja candidato a algum cargo eletivo.

Ainda é cedo para lacrar que os índices das pesquisas de hoje se confirmem em outubro, mas não há dúvida que sair num patamar de 30% do eleitorado em um Estado tão importante como o Paraná, sem ser candidato, sem ter anunciado que aceita ser, é algo que fortalece qualquer candidatura.

Eleger Sergio Moro para algum cargo eletivo é uma homenagem das pessoas que querem e defendem o combate à corrupção, acima de qualquer interesse.

Sim porque tem muita gente que defende o combate à corrupção, mas quando um processo é deflagrado contra alguém do seu grupo político, vira o disco imediatamente.

No mundo político, Moro ficou sozinho, mas no combate à corrupção e agora também na esfera eleitoral carrega simpatia de muitas pessoas.

São essas pessoas que manifestam apoio ao ex-juiz e querem vê-lo ocupando algum cargo que, pelas últimas movimentações, podem torná-lo senador pelo Paraná, já que a Justiça lhe impediu de disputar a eleição pelo Estado de São Paulo.

É bem verdade que Sergio Moro é rigoroso e honesto demais para fixar residência em Brasília, onde são valorizadas muitas outras virtudes, não exatamente a honestidade.

É provável que essa indicação da pesquisa eleitoral colocando Sergio Moro em vantagem desencadeie outras e fortes campanhas contra o ex-juiz, especialmente ataques a sua honestidade e imparcialidade como juiz.

Moro em campanha para senador no Paraná, mesmo contra sua própria vontade, lhe coloca numa condição de cabo eleitoral de Jair Bolsonaro.

Se Moro é o símbolo do combate à corrupção, Lula é o símbolo da impunidade.

Quem vota em Lula dificilmente vota em Moro, e vice-versa.

 

Arno Kunzler é jornalista e fundador do Jornal O Presente, da Editora Amigos e da Editora Gralha Azul

arno@opresente.com.br

 

Continue Lendo

Facebook