Fale com a gente

Silvana Nardello Nasihgil

O mercado da enganação cresce assustadoramente

Publicado

em

Eu já vivi muito para poder dizer que nunca houve um tempo onde fomos tão enganados. Creio que o advento das redes sociais expliquem isso, não tenho outra explicação.

Talvez estejamos vulneráveis demais ou buscando um fio de esperança, pois o que temos vivenciado chega a desafiar a nossa inteligência.

Quanto golpe! É assustador andar pelas redes sociais e ver como a vergonha na cara deixou de fazer parte da vida do ser humano.

Hoje tem remédio para curar todos os males, do corpo até a alma, anunciados por charlatãos sem qualquer escrúpulos, gente que logra êxito nas suas mentiras e por isso esse mercado da enganação vem crescendo assustadoramente.

Tem remédio para curar as doenças mais complexas possíveis; folhas de ervas misturadas com coisa nenhuma prometem milagres. Pseudo terapeutas, usando de achismos ou de teorias sem qualquer fundamentação científica, se expondo como donos da verdade, “enviados” para curar.

Outro dia vi que folhas de boldo com mel têm poder de levantar seios caídos. Oi? Pior que a pessoa que apresentava falava tão cheia de razão e nos comentários tinha quem acreditava. E por aí vai… loucuras que têm dado espaço para a imaginação dos espertos e feito muitos ingênuos caírem nessas armadilhas.

E quando se trata de saúde mental? Quanta asneira está sendo propagada, absurdos que me deixam indignada e onde creio que os teóricos da psicologia devem se revirar no túmulo. Muita gente que teve preguiça ou mesmo incapacidade de enfrentar cinco anos nos bancos escolares, depois de alguns cursos sem nenhuma fundamentação científica, saem por aí propagando coisas sem qualquer lógica real.

As pessoas fragilizadas, vendo sobre as facilidades apontadas para curar as suas dores, investem física e financeiramente no que lhes é ofertado, sendo que os resultados esperados nunca chegarão, pelo contrário, darão espaço para o mal crescer.

É lamentável ver como o ser humano encontra na fragilidade humana um jeito de ganhar dinheiro, se investindo de coragem, cheios de achismo propagam a sorte de terem descoberto o que ninguém antes pensou.

E assim a humanidade vai entregando a vida, gastando dinheiro e adoecendo mais ainda.
Só temos uma vida, onde está a dificuldade de cuidá-la verdadeiramente, se importando em buscar saber sobre o que nos é ofertado?

Alguém vai a um dentista que nunca cursou uma universidade? Não creio que alguém contrate um mero pedreiro para construir um edifício. Ninguém realmente doente compra ervas, cascas, sementes, temperos e afins, mistura com coisas nada a ver e espera a cura de doenças graves. Entrega suas fragilidades a quem usa de teorias furadas, misturadas com achismos e espera a cura de ansiedade, depressão e doenças emocionais e psicológicas. Precisamos rever tudo isso, observar o que é real e o que nos permitimos ser enganados. Muitas vezes a nossa fragilidade é tanta que a oferta de cura, venha de onde vier, é a esperança que perdemos.

Mais amor próprio e atenção nos detalhes da vida podem salvar, o bolso e a alma. Precisamos prestar atenção, isso é o primeiro passo para deixarmos de acreditar naquilo que não tem poder algum de nos salvar.

Por Silvana Nardello Nasihgil. Ela é psicóloga clínica com formação em terapia de casal e familiar (CRP – 08/21393)

silnn.adv@gmail.com

@silnasihgil

Copyright © 2017 O Presente