Copagril
Geral

Dívida de R$ 60 mil teria motivado triplo homicídio

Foto: Maria Cristina Kunzler

Ap oacute;s uma semana de intensos trabalhos, autoridades policiais e investigadores t ecirc;m como praticamente conclu iacute;do o inqu eacute;rito envolvendo o desaparecimento e posterior morte de Euclides Henrique Ernzen (Mano), Bruna Ara uacute;jo Ernzen e Fabr iacute;cio Immisch Catalan, todos de Pato Bragado. Ontem (02), em uma entrevista coletiva agrave; imprensa, o delegado Donizete Botelho, que est aacute; agrave; frente das investiga ccedil; otilde;es, afirmou que o policial detido – Almir Soares – eacute; o autor do triplo homic iacute;dio, que causou grande como ccedil; atilde;o popular em toda regi atilde;o. O motivo seria um acerto de contas entre o soldado e Euclides. A d iacute;vida que o bragadense teria com o policial era de cerca de R$ 60 mil. Ambos, conforme a pol iacute;cia, estavam envolvidos em atos il iacute;citos, na aacute;rea de contrabando de eletr ocirc;nicos, descaminho e tr aacute;fico de drogas. Almir nega a autoria do crime e culpa seu sobrinho de 17 anos.

LEIA MAT Eacute;RIA COMPLETA NA VERS Atilde;O IMPRESSA

Casa do Eletricista folha LORENZETTI
TOPO