Copagril
Geral

Família de Corbélia mora em ônibus após casa ser destruída

Reprodução/ RPC TV
Família se mudou para o ônibus no domingo (22)

Uma família que teve a casa destruída por conta da chuva que atingiu Corbélia entre sexta-feira (20) e segunda-feira (23), está morando dentro de um ônibus que pertence a um grupo musical da família. A mudança para o veículo foi feita no domingo (22), quando pai e filho chegaram de viagem após um show no Paraguai.

Além deles, a mãe, uma filha e a nora que está grávida de nove meses também ficaram desalojados. “Nós chegamos e estavam todos desamparados. A casa destelhou na sexta-feira, mas sorte que no sábado saiu um sol e não teve problema”, lembrou Diego Cavalheiro Pereira.

Casa do Eletricista ESCAVAÇÕES

O último boletim, atualizado na manhã de hoje (24) aponta que 53.387 pessoas tiveram alguma espécie de prejuízo ou transtorno por causa da chuva. Em todo o estado, são 2.518 desalojados, 38 pessoas estão em abrigos designados por prefeituras, 44 estão feridos e 11.191 residências foram danificadas. No total, 46 cidades foram atingidas.

Diego contou que como o ônibus fica na garagem da casa, levaram apenas colchões e roupas de cama para dentro do veículo. “Foi muito triste o que aconteceu na nossa cidade. Aqui em casa não foi diferente. A gente chegou e graças a Deus a gente tinha ele [ônibus] porque senão não tinha nem onde ficar porque destruiu tudo. Não teve lugar que não ficou sem chover”, contou.

O músico também relatou que não tem previsão para a família sair de dentro do ônibus. “Enquanto a casa não for consertada, vamos ficar aqui. Não podemos reclamar. Não vai resolver nada. Nós estamos em cinco, mas a qualquer hora pode aumentar”, disse ele se referindo ao nascimento do filho.

Em Corbélia, o prefeito decretou situação de emergência na manhã de hoje. A cidade teve o maior número de pessoas afetadas, com 11.953. Uma vez decretada situação de emergência, o município fica autorizado a contratar funcionários e ou serviços por tempo determinado e pode conseguir, com mais facilidade, recursos dos governos estadual e federal. As cidades de Verê, Realeza, Salto do Lontra e São João também já decretaram situação de emergência.

TOPO